Paciente que teve dois AVCs volta a andar após tratamento com CBD 

Paulo Camargo sofreu um derrame e perdeu os movimentos do lado esquerdo do corpo

Publicada em 13/07/2023

capa
Compartilhe:

Por redação Sechat

Após enfrentar uma jornada desafiadora ao sofrer dois Acidentes Vasculares Cerebrais (AVCs) em fevereiro de 2022, Paulo Camargo, de 63 anos, que teve o lado esquerdo do corpo paralisado devido aos derrames, encontrou no canabidiol (CBD) uma solução eficaz no tratamento de sua condição.

Mesmo apresentando dificuldades em se movimentar e dependendo de uma cadeira de rodas por quase um ano para se locomover, Paulo relata que sua qualidade de vida melhorou significativamente desde que iniciou a terapia com os derivados da planta: 

"Cada dia era uma surpresa! Foram dois AVCs, um isquêmico e outro hemorrágico. Passei 21 dias na UTI. Não conseguia tomar banho, trocar de roupa sozinho e nem andar sem a ajuda de uma bengala. Depois do tratamento, minha qualidade de vida aumentou consideravelmente. Hoje consigo fazer tudo e a bengala e a cadeira de rodas estão encostadas!", afirma Paulo.

O paciente destaca que o uso da medicação trouxe maior autonomia para a sua vida diária. "Estou usando o CBD há cerca de seis meses, e isso mudou a minha vida. Hoje consigo realizar tarefas cotidianas que antes eram impossíveis. Faço a limpeza da casa, cozinho, cuido dos meus negócios bancários e odontológicos, além de prestar assistência aos meus clientes. Meu próximo passo é renovar a minha carteira profissional e comprar um carro. Também pretendo voltar à faculdade para concluir meu curso de direito", celebra ele.

De acordo com o Dr. Flávio Geraldes Alves, diretor da Associação Pan-Americana de Medicina Canabinoide (APMC) e consultor médico do laboratório responsável por fornecer a medicação para o paciente, o canabidiol pode ser uma excelente opção terapêutica em casos de pacientes pós-AVC. 

"Ele pode auxiliar na recuperação neurológica, além disso, muitos pacientes enfrentam ansiedade ou depressão devido à perda de movimentos decorrente do AVC e, o canabidiol, tem o potencial de melhorar a saúde mental e a qualidade de vida dessas pessoas", explica o Dr. Flávio.

O médico destaca também que o tratamento com CBD pode ajudar a tratar a espasticidade, que causa dor crônica e limita ainda mais os movimentos. "As lesões neurológicas podem resultar em sequelas motoras, como a espasticidade. O Canabidiol Full Spectrum, que contém o THC, pode auxiliar no tratamento dessa condição e na redução da dor causada por essa sequela", afirma o médico.

A história de Paulo Camargo é mais um exemplo do potencial terapêutico do CBD no auxílio à recuperação de pacientes que enfrentaram eventos cerebrovasculares. Embora seja importante ressaltar que cada caso é único e deve ser acompanhado por profissionais de saúde, os relatos positivos como o de Paulo abrem caminho para uma maior compreensão dos benefícios medicinais da cannabis e suas propriedades terapêuticas.