Entidades recebem aporte financeiro para pesquisa com cannabis em SP

Unicamp, Unesp, Associação Cultive, Instituto CuraPro e Sírio Libanês são os vencedores do edital de emendas da Frente Parlamentar da Cannabis, totalizando um investimento de R$ 734 mil em ciência, pesquisa, saúde, educação e empreendedorismo

Publicada em 08/12/2023

capa
Compartilhe:

Por assessoria FPCMCI

Em sessão itinerante realizada na sede do Legado Talks, na comunidade de Paraisópolis, em São Paulo na última quarta-feira (6), a Frente Parlamentar da Cannabis Medicinal e do Cânhamo Industrial da Assembleia Legislativa do estado de São Paulo realizou a sua última audiência do ano de 2023. A reunião foi marcada pelo anúncio dos projetos selecionados no edital de emendas proposto pela Frente, uma iniciativa dos deputados Caio França (PSB) e Eduardo Suplicy, coordenador e vice-coordenador respectivamente, que estão destinando um total de R$ 734 mil reais em emendas impositivas individuais, sendo R$ 434.456,00 de França e R$ 299.600,00 de Suplicy. O chamamento público contou com 37 projetos inscritos e avaliados pelo Conselho Deliberativo da Frente composto por médicos, pesquisadores, advogados, associações e assessoria parlamentar. 

Eduardo Suplicy e Caio França assinando os certificados (Foto: Ascom/FPCMCI)

O Laboratório de Toxicologia Analítica, Centro de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox) da Unicamp foi um dos cinco selecionados com a apresentação do projeto: “Avaliação da qualidade de produtos de Cannabis Medicinal utilizados no estado de São Paulo”, com um valor de R$ 180 mil. A Unesp de Araraquara, por meio da Faculdade de Ciências Farmacêuticas desenvolverá uma parceria com a Associação Flor da Vida, de Franca/SP, visando apoiá-los na cadeia produtiva de cannabis medicinal, com um investimento de R$ 100 mil. 

Associação cultive recebe aporte de quase R$200 mil para melhoramento de suas instalações (Foto: Ascom)

A Associação Cultive, que possui autorização judicial para o plantio de cannabis medicinal solicitou recursos financeiros para ampliação do seu trabalho com a finalidade de atendimento de até 400 pacientes e consequente promoção de melhorias no acolhimento. Com o projeto denominado “Estrutura de acolhimento e Adequação de Cultivo Associativo pela Cultive- Associação Cannabis e Saúde”, a entidade será contemplada com R$ 199.600,00. 

O Instituto CuraPro apostou na educação e no empreendedorismo canábico em seu projeto, com o tema Plantando Conhecimento e Saúde: Cannabis Medicinal na Favela, será contemplado com R$ 156.350,00. A expectativa é capacitar até 1.000 pessoas da comunidade de Paraisópolis. Já o Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês- iEP/HSL promoverá uma pesquisa mista com grupo focal e questionário e foi selecionado com o projeto: “Impacto do uso da Cannabis Medicinal na qualidade de vida de crianças e adolescentes no Transtorno do Espectro Autista (TEA)”, no valor de R$ 98.106,20. 

O deputado estadual Caio França destacou a importância do Parlamento Paulista estar dentro das comunidades, ouvindo os seu anseios. “Vamos reproduzir outras reuniões neste formato realizado em Paraisópolis. Foi uma experiência muito gratificante que ficará marcada e que deve se repetir”. 

Sobre os projetos selecionados, ele emendou. “O Conselho Deliberativo precisou se reunir algumas vezes para definir os contemplados. Não foi uma decisão fácil. Porém foram escolhas equilibradas, conseguiram contemplar duas universidades públicas, a Unesp e a Unicamp. que poderão analisar a qualidade do óleo produzido por associações, duas entidades, a Cultive e a CuraPro e um hospital renomado como o Sírio Libanês que desenvolverá uma pesquisa com autistas. São demandas importantes e que foram levadas durante as nossas audiências realizadas durante todo o ano de 2023. Desejamos que os resultados sejam satisfatórios e revertidos em melhorias na qualidade de vida e promoção de saúde da população do estado de São Paulo”, salientou França.