O uso de cannabis nos torna preguiçosos?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Os receptores CB1, que são o principal alvo do THC no corpo humano, são conhecidos por impactar a motivação (Foto: Ketut Subiyanto/Pexels)

Curadoria e edição de Sechat Conteúdo, com informações de Canex (Emily Ledger)

Ao longo das décadas de proibição global da Cannabis Medicinal ou para uso adulto, alguns slogans tornaram-se extremamente populares em apoio aos controles. Quando muitos de nós pensamos no uso de cannabis podemos instintivamente associá-lo a uma falta de motivação e até preguiça. 

Essa visão começou a ser cultivada em meados do século 20, quando os governos buscaram pela primeira vez proibir o uso da droga – e tem resistido ao teste do tempo. Mas a Cannabis Medicinal ou para uso adulto realmente nos torna preguiçosos?

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

A resposta a esta pergunta pode ser mais complicada do que simplesmente ‘sim’ ou ‘não’, pois os efeitos da cannabis podem variar amplamente dependendo da cepa em questão. Embora diferentes cepas sejam caracterizadas pelo conteúdo de canabinoides, outros compostos, como os terpenos, também desempenham certo papel.

A teoria “Sativa vs Indica”

As cepas são frequentemente divididas em duas categorias, que recebem os nomes de espécies da planta cannabis: Sativa e Indica. Embora seja amplamente aceito que as plantas Cannabis Indica são mais altas em THC e Sativa mais altas em CBD, este nem sempre é o caso. No entanto, popularizou-se a teoria de que as cepas de Cannabis Indica (que supostamente contêm mais THC) são mais sedativas, enquanto as cepas de Sativa são melhores se você quiser ficar mais alerta e ativo.

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

Embora categorizar cepas como Indica ou Sativa com base em seu perfil de THC:CBD possa não ser particularmente sensato, focar nos efeitos desses canabinoides pode ser relevante para responder à nossa pergunta.

Canabidiol (CBD) e motivação

O CBD se tornou muito popular nos últimos anos, à medida que as empresas continuam a adicionar o canabinoide não psicotrópico a uma grande variedade de produtos voltados para a saúde. O composto ganhou popularidade graças ao seu potencial relatado para reduzir o estresse e a ansiedade, melhorar o sono e até mesmo ajudar no combate à dor. Alguns consumidores, porém, afirmam que pode ajudar em ainda mais áreas.

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

Esportistas e atletas podem ser cada vez mais identificados usando produtos com CBD e até endossando marcas específicas. Além disso, um movimento começou a incorporar o derivado da cannabis em regimes regulares de ginástica e treino. Além disso, muitos usuários acreditam que uma dose regular de CBD ajuda a melhorar o foco e a motivação, tornando mais fácil superar sua carga de trabalho.

Embora as evidências clínicas permaneçam subdesenvolvidas nessas áreas, as evidências informais são abundantes e continuam a impulsionar o sucesso sem precedentes da indústria de CBD.

>>> Sechat divulga gratuitamente serviços de 118 médicos prescritores de Cannabis Medicinal

THC e motivação

O THC é o canabinoide mais comum encontrado na planta cannabis. É também o composto que causa a sensação de euforia. Portanto, se a teoria Sativa vs Indica pode ser acreditada, a “preguiça” frequentemente associada ao uso de cannabis também pode. Os receptores CB1, que são o principal alvo do THC no corpo humano, são conhecidos por impactar a motivação. No entanto, ainda não se sabe como e em que medida o THC pode desempenhar tal papel.

Além disso, as descobertas de um estudo recente tornaram essas suposições ainda mais obscuras. Em 2020, cientistas franceses começaram a entender os efeitos do THC na motivação de ratos. Para determinar o efeito, os pesquisadores observaram ratos e sua motivação para correr em uma roda de corrida antes e depois da administração de THC.

>>> Sechat confirma para 2021 o maior evento sobre Cannabis Medicinal no Brasil

Os ratos foram treinados para cutucar o nariz para destravar o acesso a uma roda de corrida. Curiosamente, a administração de THC não teve efeito sobre a preferência dos ratos por correr. Além disso, os pesquisadores também não encontraram alterações no quão duro os ratos trabalharam para obter acesso à roda de corrida ou seu desempenho.

Por outro lado, descobriu-se que a eliminação genética dos receptores CB1 teve um impacto na motivação dos ratos para correr. Isso é digno de nota, pois o aumento da exposição ao THC pode muitas vezes levar a um aumento na tolerância. Isso também está associado a uma diminuição nos receptores CB1. Isso que significa que o uso frequente de cannabis pode, de fato, estar relacionado a uma diminuição na motivação.

Conclusões

Embora esses resultados sejam um passo promissor para a compreensão da verdadeira conexão entre o THC e a motivação, as descobertas podem não ser completamente transferíveis para os humanos. Portanto, como geralmente é o caso ao tentar interpretar a verdadeira natureza da cannabis, são necessárias mais pesquisas nesta área.

Através da interpretação das evidências existentes, é improvável que o uso ocasional de cannabis nos torne preguiçosos. Optar por produtos de menor resistência (cepas com baixo teor de THC) também pode ajudar a aliviar o risco de perder a motivação.

Confira outros conteúdos sobre os efeitos da cannabis publicados pelo Sechat:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese