A importância do desenvolvimento de tecnologias para o cultivo de cannabis na Live Sechat

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Rocha (abaixo na foto) defende que é necessário e estratégico que o Brasil se insira no mercado da cannabis, já que a planta é uma nova commodity, agora reconhecida em muitos países (Foto: Instagram Sechat)

Caroline Vaz (texto) / Charles Vilela (edição)

A Live Sechat do dia 9 de fevereiro recebeu Sérgio Rocha, engenheiro agrônomo e fundador da Adwa Cannabis. A startup, constituída na Universidade Federal de Viçosa (UFV) por estudantes do curso de Agronomia e Administração, é uma empresa de desenvolvimento de pesquisas e tecnologias voltadas para a cadeia produtiva da cannabis. Eles possuem o objetivo de desenvolver produtos com tecnologia nacional que atendam ao mercado da planta.

O nome Adwa, como conta Sérgio, foi inspirado na batalha de Adwa, que ocorreu na segunda guerra mundial. “Foi o momento em que o exército da Itália tentou colonizar o território da Etiópia. Então, eles tiveram que desenvolver estratégias baseadas nos conhecimentos de clima, solo e relevo da região para combater o exército italiano e resistir à colonização”, disse. 

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

Rocha afirma que, em relação ao acesso à tecnologia de ponta, não é possível comparar os produtos nacionais aos produzidos por países como Israel, China, Estados Unidos e Canadá. “Mas o Brasil tem um know-how em agricultura muito grande. Embora a gente não tenha acesso a essas tecnologias, se soubermos o potencial da agricultura brasileira, podemos competir de igual para igual com esses países no mercado internacional de cannabis e evitar que sejamos colonizados e dominados por essas empresas estrangeiras”, defende o agrônomo, fazendo um paralelo com a batalha que inspirou o nome da empresa.

A Live foi conduzida pelo Dr. Pedro Pierro, neurocirurgião e diretor Científico do Sechat. Em relação ao potencial agrícola da cannabis, Pierro defendeu que no Brasil “tudo o que se planta, dá”. “Não podemos perder isso (o potencial de produção da cannabis) para o mercado internacional. O fato de não estarmos à frente disso, dói o coração. Estamos num momento de escolher se vamos ser protagonistas ou coadjuvantes”, afirmou. 

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

Em relação à decisão de qual papel o país tomará na indústria da cannabis medicinal, Sérgio Rocha defende que há uma possibilidade favorável ao PL 399/2015. O projeto irá regulamentar o cultivo, processamento, pesquisa, produção e comercialização de produtos à base de Cannabis para fins medicinais e industriais. “Nós da ADWA já fomos procurados por diversos empresários do agronegócio interessados em se inserirem no mercado da cannabis”, declarou. Para ele, pelo fato de o projeto propor regras claras de produção que garantem a segurança, a decisão tende a ser mais positiva.

Rocha ainda defende que é necessário e estratégico que o Brasil se insira no mercado da cannabis, já que a planta é uma nova commodity, agora reconhecida em muitos países. “Se não inserirmos nosso agronegócio, que é de onde vem grande parte do PIB, não será mais competitivo em longo prazo. É uma questão de soberania econômica que o Brasil entre nessa cadeira.”

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

O papel da ADWA

O objetivo principal da startup é fornecer tecnologias para a cadeia de produção da cannabis. Rocha afirma que, atualmente, o agronegócio trabalha com dados refinados que podem reduzir os custos de produção e possíveis perdas. Isso pode contribuir também para a diminuição do uso de agrotóxicos e ambientes com temperatura controlada, que possuem um alto custo. Então, com a tecnologia fornecida pela ADWA, é possível, através da captação de dados, controlar todos estes aspectos, o que se torna primordial para uma o cultivo de uma semente com alto potencial produtivo e de menor custo.

>>> Sechat divulga gratuitamente serviços de 118 médicos prescritores de Cannabis Medicinal

Além disso, a ADWA possui sem foco em melhoramento genético. Rocha conta que, o fato do Brasil ter que recorrer a sementes de fora do país para realizar o cultivo atrapalha o processo de produção, uma vez que tais sementes foram desenvolvidas sob condições diferentes de solo e chuva. “Então nosso objetivo é que a gente tenha sementes adaptadas a realidades dos diversos locais de produção do Brasil.”

Qual a melhor região brasileira para plantar cannabis?

Conforme Sérgio Rocha, a pergunta para essa questão depende da finalidade em que a cannabis está sendo cultivada. O cultivo para exploração de fibras, por exemplo, tem maior potencial na região centro-sul e centro-oeste do país, por conta do clima e das áreas planas e extensas. Já para o uso medicinal, a região nordeste apresenta grande potência, por ter um clima favorável a este tipo de cultivo. 

Em relação aos cultivos realizados na cidade de São Paulo, os solos férteis podem contribuir para um maior desempenho no cultivo de cannabis. Além disso, o fato do solo possuir excessos de minerais e metais não influencia no cultivo da planta, já que ela possui tolerância para esses excessos. 

>> Sechat confirma para 2021 o maior evento sobre Cannabis Medicinal no Brasil

“Plantar cannabis não é uma receita de bolo” 

Sérgio afirma que plantar cannabis “não é uma receita de bolo”, uma vez que o cultivo deve ser realizado de acordo com o local, época de plantio, infraestrutura disponível e objetivo da produção. 

“Informações para o cultivo individual estão acessíveis na internet, é só pesquisar. Mas, quando você vai para o cultivo comercial, você precisa ter alguns cuidados, tecnologias precisam ser desenvolvidas para as condições brasileiras. Por isso, é necessária pesquisa e desenvolvimento para o Brasil ir para o setor comercial”, afirma Rocha.

Confira as Lives Sechat organizadas por tema e data

Confira a lista completa de lives, organizadas por tema e convidado, que você pode assistir tanto pela nova aba “Vídeos”, localizada no menu da home do portal Sechat, como pelo nosso canal no Youtube: 

– Cannabis x Covid-19, com Pedro Pierro Neto (16/03/20) e (Live 2)

– Indústria x Covid-19, com José Bacellar (16/04/2020)

– A importância do cultivo de Cannabis, com Arthur Arsuffi (20/04/2020)

– Panorama da Cannabis na pandemia, com Wilson Lessa (20/04/2020)

– Atendimento a Associados Canábicos em tempos de Covid-19, com Margarete Brito (20/04/2020)

– Acesso a medicamentos, com Camila Teixeira (20/04/2020)

– Uso de Cannabis em Animais, com Erik Amazonas (20/04/2020)

– Cultivando direitos, com Cida Carvalho (05/05/2020) e parte 2

– Medicamentos à base de Cannabis, com Fabrício Pamplona (07/05/2020)

– Telemedicina, com Viviane Sedola (14/05/2020)

– Família e Cannabis Medicinal, com Neila Medeiros (26/05/2020)

– Desafios de uma startup no Mercado de Cannabis Medicinal, com Jaime Ozi (28/05/2020)

– Pesquísas cientícas dos medicamentos de Cannabis, com Dr. Wellington Briques (02/06/2020)

– Lei de Fomento à pesquisa de Cannabis no RJ, com Carlos Minc (09/06/2020)

– Esclerose múltipla e Cannabis, com Gilberto Castro (11/06/2020)

– A cultura do cânhamo, com Lorenzo Rolim da Silva (16/06/2020)

– Prescrição de Cannabis em animais, com Tarcísio Barreto (18/06/2020)

– Cannabis, ansiedade e bem-estar, com Mohamad Barakat (23/06/2020)

– Prospecções da regulação canábica no Brasil, com Rodrigo Mesquita (25/06/2020)

– Como a expansão das associações ajuda pacientes, com Pedro Sabaciauskis (30/06/2020)

– Teste clínico com Cannabis medicinal, com Murilo Gouvêa (02/07/2020)

– Direito do paciente e a Cannabis medicinal, com Ana Izabel Carvana de Hollanda (07/07)

– Inovação e Cannabis medicinal, com Alex Lucena (09/07/2020)

– Como participar do ecossistema da Cannabis medicinal, com Marcel Grecco (14/07/2020)

– O mercado de Cannabis no Uruguai, com Gabriela Cezar (16/07/2020)

– Cannabis no tratamento de Parkinson, com Flávio Henrique de Rezende de Costa (21/07/2020)

 A necessidade de uma legislação para medicamentos, com Fábio Mercante de San Juan (30/07/2020)

– Tipos de extratos e vias de administração dos produtos à base de Cannabis, com Renata Monteiro (04/08/2020)

– Tratamento com Cannabis medicinal, com Paula Dall’Stella (06/08/2020)

– A Nova política para a Cannabis, com Marco Algorta (13/08/2020)

– Canabinoides em Neuropsiquiatria: uma nova fronteira clínica, com Dr. Wilson Lessa Junior (20/08/2020)

– Substitutivo do PL 399/2015, com Cassiano Teixeira (21/08/2020)

– PL 399-2015 e o aumento de acesso à Cannabis medicinal, com Deputado Federal Eduardo Costa (28/08/2020)

– Andamento do PL 399-2015, com Pedro Sabaciauskis (08/09/2020)

– Dificuldades de trabalhar com a Cannabis, com Ana Hounie (10/09/2020)

– Avanços e Desafios da PL 399, com Pedro Gabriel Lopes (15/09/2020)

– Preço de tratamentos com Cannabis, com Rodolfo Rosato (24/09/2020)

– Análise de Canabinoides usando Cromatografia de Camada Delgada, com Paulo Jordão Fortes (14/10/2020)

– Centro de Excelência Canabinóide, com Marcelo Sarro (20/10/2020)

– A Importância do Acolhimento, com Neide Martins (28/10/2020)

– PL 399/2015 , com Rodrigo Mesquita (03/11/2020)

– Conversando sobre Cannabis Medicinal, com Dr. Pedro Pierro Neto (10/11/2020)

– PL 399, com Deputado Federal Luciano Ducci (17/11/2020)

– A Cannabis Medicinal após o filme “Ilegal”, com Tarso Araujo (24/11/2020)

– Panorama da Cannabis Medicinal em 2020, com Emílio Figueiredo (01/12/2020)

– Bioética na Cannabis para uso Medicinal, com Jackeline Barbosa (07/12/2020)

O caminho que levou Paulo Teixeira ao PL da Cannabis (15/12/20)

Conversando sobre Cannabis Medicinal, com Dr. Pedro Pierro (22/12/2020)

Conversando sobre Cannabis Medicinal, com Dr. Pedro Pierro (02/02/2021)

Tecnologias para a cadeia da Cannabis Medicinal e Industrial no Brasil, com Sérgio Rocha (09/02/2021)

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese