A regulamentação da cannabis no Líbano

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Em defesa da regulamentação, Raed Khoury, ex-ministro interino da economia e comércio do Líbano, se gabou de que a qualidade da maconha libanesa “é uma das melhores do mundo” (Ilustração: Reprodução parcial de criação de Jamba Estúdios)

No terceiro quadrinho da série fruto da parceira com o Sechat, a “Jamba Estúdios” desenvolve o tema da cannabis no Líbano.

Em abril do ano passado, o parlamento libanês aprovou uma legislação para legalizar o cultivo de cannabis para fins médicos e industriais. A medida teria sido recomendada pelos consultores econômicos antes mesmo da pandemia de coronavírus ter causado um golpe devastador na economia do país.

>>> Líbano libera cultivo de maconha para recuperar a economia diante do Covid-19

>>> Líbano discute legalização do cultivo de Cannabis medicinal em meio a debates sobre anistia e conflitos de interesse

Em julho de 2018, Raed Khoury, ex-ministro interino da economia e comércio do Líbano, se gabou de que a qualidade da maconha libanesa “é uma das melhores do mundo” durante uma entrevista à Bloomberg News.

As declarações de Khoury vieram depois que o Líbano contratou a empresa global de consultoria McKinsey & Co., com sede em Nova York (EUA), para aconselhar o país sobre como lidar com crescentes preocupações econômicas. McKinsey sugeriu que o Líbano legalizasse a maconha para pelo menos alguns propósitos. Na época, Khoury projetou que a maconha legal para uso médico e industrial poderia gerar cerca de US$ 1 bilhão por ano.


cannabis

Confira outros quadrinhos publicados pelo Sechat na parceria com a “Jamba Estúdios”:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese