Brexit pode dificultar o acesso à Cannabis Medicinal

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
O uso medicinal de cannabis em casos em que todas as outras opções foram esgotadas foi legalizado no Reino Unido em 2018 (Foto: Reprodução/Health Europa/iStock/oversnap)

Após o final do período de transição do Brexit no Reino Unido a partir de sexta-feira (1º), as crianças britânicas com condições médicas graves não poderão mais ter acesso às prescrições de Cannabis Medicinal.

Em uma carta enviada às partes interessadas, clínicas e grupos de pacientes na semana passada, o Departamento de Saúde e Assistência Social (DHSC) do Reino Unido alertou que, uma vez que o período de transição termine, as prescrições emitidas no Reino Unido não serão mais aceitas pelos Estados Membros da União Europeia. Na prática, isso significa que as crianças com epilepsia grave que dependem essencialmente da cannabis medicinal serão totalmente incapazes de ter acesso ao tratamento de que precisam após o Brexit, visto que a cadeia de abastecimento está localizada na Holanda.

Comunicado com restrição do acesso à Cannabis Medicinal foi enviado às vésperas do prazo final

A carta do DHSC, datada de 15 de dezembro – portanto 16 dias antes do final do período de transição – anuncia sua intenção de garantir que ações imediatas sejam tomadas. Diz também que os prescritores devem ser informados sobre cannabis não licenciada para fazer as melhores escolhas para seus pacientes após o final do período de transição em 1 de janeiro de 2021.

Um porta-voz da campanha de acesso à cannabis medicinal End Our Pain comentou que “a carta é mais um golpe devastador para essas famílias.”. Ele disse ainda que elas já experimentam as dificuldades de cuidar de crianças muito doentes. “Vez após vez, as famílias End Our Pain têm feito apelos desesperados ao primeiro Ministro, ao secretário da Saúde e ao NHS por assistência urgente, mas suas necessidades continuam a ser ignoradas”, declarou. “Esta carta, enviada perto da transição, nos força a encontrar uma solução com base em informações limitadas. O encerramento do fornecimento de Cannabis Medicinal da Holanda para o Reino Unido será uma questão de vida ou morte para essas crianças. É imperativo que o governo aja agora para ajudar a encontrar uma solução e ajudar essas famílias”, diz o documento.

>>> Reino Unido lança cartão que protege pacientes de Cannabis medicinal sem autorização

Uso de Cannabis Medicinal para casos em que todas as alternativas foram esgotadas foi autorizado em 2018

O uso medicinal de cannabis em casos em que todas as outras opções foram esgotadas foi legalizado no Reino Unido em 2018; e cerca de 40 crianças atualmente recebem óleo de cannabis prescrito para tratar formas extremas e resistentes a medicamentos de epilepsia que, se não tratada, pode causar convulsões frequentes ou prolongadas com risco de vida várias vezes por dia. Destes, acredita-se que apenas três tenham obtido a prescrição pelo NHS, o que significa que as demais famílias devem pagar para ter acesso aos medicamentos de forma privada. 

Com prescrições privadas de cannabis medicinal custando até 2.500 euros por mês, e com os custos e complicações adicionais associados a uma criança que precisa de cuidados intensivos de longo prazo, muitas dessas famílias são forçadas a solicitar doações de caridade – mas desde o início da pandemia em março, a maioria das atividades de arrecadação de fundos foram suspensas.

>>> ‘SUS’ do Reino Unido fornece prescrição de Cannabis medicinal vitalícia a garoto com epilepsia

Com Brexit, receitas de cannabis do Reino Unido devem perder a validade em outros países da Europa

Alfie Dingley, filho de Hannah Deacon, sofre de PCDH19, uma forma extremamente rara de epilepsia em cluster; e esteve na vanguarda das campanhas que levaram à mudança da lei de 2018, após a qual Alfie, então com sete anos, se tornou o primeiro paciente no Reino Unido a receber uma licença permanente de cannabis medicinal. Deacon disse: “Este é realmente o pior presente de Natal que eu e as outras famílias afetadas poderíamos receber. Tenho a sorte de ter uma receita do NHS para Alfie, mas agora temo que não seja honrado por causa desta carta. As outras famílias continuam a ser bloqueadas pelo NHS a cada passo em sua luta por uma receita do NHS, decepcionadas pelo próprio sistema que se destina a ajudar seus filhos.”

Famílias pedem solução conjunta entre os governos do Reino Unido e da Holanda

Deacon acrescentou que a carta que recebeu apenas algumas semanas antes de 1º de janeiro, só acrescenta um insulto a essas famílias, que já enfrentam a luta diária de tentar encontrar dinheiro para financiar receitas privadas para a epilepsia de seus filhos. “Estamos todos diante da grave possibilidade de que nossos filhos não consigam acessar a forma de cannabis medicinal que funciona. Estamos fazendo um apelo desesperado aos governos do Reino Unido e da Holanda para que trabalhem juntos para encontrar uma solução de longo prazo para esta crise. Não se trata da política do Brexit. É sobre a vida das crianças em jogo. Exorto Boris Johnson a intervir, trabalhar com o governo holandês e nos ajudar.”

Fonte: Health Europa, com curadoria e edição de Sechat Conteúdo

Siga o Sechat na sua rede social favorita e acompanhe o conteúdo confiável sobre Cannabis Medicinal: 

>>> Instagram 

>>> Facebook

>>> Twitter

>>> Youtube

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese