CBD faz crescer cabelo?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
fabricio-pamplona-coluna-sechat
Até parece brincadeira, mas sim, o CBD pode fazer crescer cabelo e o cientista Fabrício Pamplona mostra estudos que prometem comprovar mais esse benefício do canabidiol (Foto: Arquivo Pessoal)

Coluna de Fabrício Pamplona*

Esse só pode ser o último passo rumo à dominação mundial dessa “febre” que está despertando atenção em todos os cantos do planeta.

Quem me segue e conhece a história já deve ter ouvido falar do momento célebre na minha carreira quando na primeira palestra internacional, falando sobre o potencial terapêutico do CBD para uma seleta audiência de cientistas internacionais, soltei a pérola “olha, acho que o CBD é a nova aspirina, esse negócio é bom pra tudo”.

Pois bem, se o CBD podia ser comparado à aspirina, agora ele superou… crescer cabelo é tipo os “super poderes” de qualquer substância. Depois do Viagra, que já resolveu o maior dos medos masculinos, a queda de cabelo é possivelmente a maior preocupação de qualquer homem de meia idade. Algo que resolve esse problema é certamente digno de um blockbuster, e até o momento, existem paliativos, mas nada que resolve o problema de verdade.

Atuar onde ninguém mais atua parece um certo karma dos canabinoides, não é? Ficam relegados “à última alternativa”, somente utilizado em caso de refratariedade aos tratamentos convencionais. Aparentemente já se acostumaram com o papel de “salvador da pátria” e essa ascensão ao couro cabeludo parece apenas mais um capítulo rumo ao estrelato.

Intencionalmente, estou escrevendo o texto de maneira descontraída, quase em tom de humor, porque convenhamos… parece piada. Mas me deparei com esta afirmação e fui atrás para tentar entender o que, quem ou porquê estavam tentando me convencer que o CBD poderia ser uma alternativa à finasterida, minoxidil ou qualquer outro meio de reduzir a queda de cabelo.

E antes que perguntem, bem, sim, aparentemente eu fui “vítima do algoritmo” e começou a aparecer conteúdo a respeito desse tema pra mim porque já estou cultivando um belo aeroporto de mosquito no cocoruto, que outrora ostentava algumas madeixas sem pigmentação. Tinha uma mexa clara, onde hoje aparece um buraco. Mas se formos considerar os estudos recentes publicados na revista “Cannabis” e no “Journal of Investigative Dermatology“, de repente temos um pingo de esperança. Desde que esse pingo seja no local correto e contenha canabidiol (CBD) na concentração certa.

A explicação pra fenômeno parece estar no fato de que o crescimento do folículo capilar é modulado pelo sistema endocanabinoide. Agora muitos vão se perguntar: “Até isso?”. Sim, até isso. A aplicação de CBD promove o alongamento do fio capilar e especula-se que seja por conta dos efeitos como modulador alostérico negativo dos receptores CB1. Além disso, a aplicação de CBD ativa a via de sinalização Wnt que promove a diferenciação de células progenitoras dermais em novos folículos capilares, mantendo-os na fase anágena do ciclo de crescimento capilar. Sabe o que isso quer dizer? Em bom português: faz crescer cabelo. 

O estudo publicado em Cannabis com 35 voluntários com alopecia demonstrou que o efeito é dose-dependente, o que costuma ser usado em farmacologia como uma evidência de que é um efeito modulado por mecanismo específico, e neste caso, também em U invertido, que é típico dos canabinoides. A surpresa maior é que apenas 3-4 mg de CBD por dia diretamente no couro cabeludo durante 6 meses foram capazes de exercer esse efeito em 93.5% dos indivíduos. Resultados impressionantes. Faltou um grupo controle, adequado, é verdade, mas qualquer um que esteja sofrendo de alopecia pode testemunhar que via de regra, esse fenômeno não se reverte de forma espontânea ou natural.

O estudo in vitro publicado no Journal of Investigative Dermatology mostra que uma concentração baixíssima de CBD (apenas 0.1 μM) promove elongação do fio de cabelo, enquanto uma concentração 100 vezes maior, provavelmente com efeito menos específico no sistema endocanabinoide, resulta em efeito contrário. A substância também atua como anti-inflamatório e “sebostático” reduzindo a produção de oleosidade no couro cabeludo, de acordo com um estudo no prestigioso Journal of Clinical Investigation

Em termos práticos isso significa que você pode pegar o seu CBD 3% e diluir substancialmente, até 100 vezes e ainda obter um efeito terapêutico passando direto no couro cabeludo. Subitamente a ideia de um shampoo de CBD não parece mais ser uma ideia tão esdrúxula, ou uma invencionice de algum fabricante querendo “inventar moda”.

Estou surpreso, e acredito que você também. Bora lavar a cabeça com CBD? Não ria, é sério, e aparentemente funciona pra valer. Quem sabe descobrimos o segredo por trás das enormes cabeleiras dos dreadlocks rastafaris…  será?

*Fabrício Pamplona é doutor em Psicofarmacologia, cofundador da Proprium Health, Technology and Science e do Instituto Phaneros e colunista do Sechat.

As opiniões veiculadas nas colunas são pessoais e de responsabilidade dos autores.

Veja outros artigos de colunistas:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese