Mais de 1 milhão de adultos no Reino Unido podem ter o cartão de Cannabis medicinal

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A partir de 1º de novembro deste ano, um novo cartão de isenção de Cannabis estará disponível para proteger os pacientes de Cannabis medicinal de detenção e processo legal no Reino Unido. Mais de 1 milhão de pessoas no Reino Unido podem ser elegíveis para o Cancard por meio de seus GPs. A iniciativa é apoiada pela Federação da Polícia, pacientes de maconha medicinal e parlamentares em todo o país.

No Reino Unido, estima-se que 1,4 milhão de pessoas gravemente enfermas dependem da Cannabis medicinal para seu efeito terapêutico. Devido ao baixo número desses pacientes que podem acessar os medicamentos de Cannabis legalmente por meio do NHS, muitos são forçados a confiar na Cannabis de fontes ilícitas.

O uso medicinal da Cannabis foi legalizado no Reino Unido há dois anos, após os casos de duas crianças epilépticas que se beneficiaram com o uso da Cannabis, ganhando considerável atenção da mídia e do público.

Cancard, que é uma identificação com foto holográfica, foi projetada por pacientes de Cannabis medicinal em colaboração com oficiais da polícia. O cartão estará disponível para pessoas que sofrem de doenças que foram prescritas em clínicas privadas desde a mudança da lei em novembro de 2018.

Embora as recomendações do Instituto Nacional de Excelência em Saúde e Cuidado representassem o uso de Cannabis medicinal para algumas dessas condições, o acesso por meio do NHS (sistema de saúde público) permaneceu inexistente. Isso significa que, apesar da mudança na lei há dois anos, os medicamentos de Cannabis permanecem além do alcance de todos, exceto de alguns pacientes.

O Cancard foi concebido por Carly Barton, a mais proeminente defensora do Reino Unido para a reforma da legislação sobre a Cannabis medicinal. O esquema foi apoiado por pacientes de Cannabis medicinal e pela Federação da Polícia, representando todos os oficiais de polícia do Reino Unido com um grupo de trabalho que inclui oficiais superiores do crime organizado e do Conselho Nacional de Chefes de Polícia.

>>> Sechat traz medicina tradicional, qualidade de vida e tratamentos mais baratos para a pauta do Medical Talks Live

Os elegíveis, e na posse de um Cancard, serão capazes de se identificar para a polícia como pacientes verificados de Cannabis medicinal e terão acesso a uma defesa legal de código aberto fornecida pelo Cancard, caso precisem.

Carly Barton disse que o cartão deve dar aos pacientes uma tranquilidade e que a confiança da polícia nele deve ser usada antes que qualquer estresse seja causado a pessoas que usam como método medicinal

“Ter a polícia de acordo com a concepção e implementação deste foi essencial para tornar este um projeto plausível. ”

Martyn Underhill, Comissário da Polícia e do Crime de Dorset disse que, embora mais de um milhão de pacientes no Reino Unido se qualificassem para receber uma receita particular de maconha, muitos deles não podiam pagar.

Ele acrescentou: “O cartão lhes dará uma garantia de que seus problemas de saúde não levarão a um registro criminal.”

“Além disso, também será uma ferramenta valiosa para ajudar os oficiais, economizando tempo ao fornecer verificação imediata de pacientes médicos genuínos.”

Como funcionará a aplicação do cartão?

O esquema é apoiado por alguns dos médicos mais experientes do Reino Unido. Cancard está em parceria com a Rede Cannabis de Atenção Primária (PCCN), que é administrada pelo médico do NHS, Dr. Leon Barron.

O PCCN acredita que os GPs estão bem posicionados para se tornarem prescritores-chave de Cannabis medicinal e estão trabalhando com o Cancard para ajudar a divulgar informações científicas para o médico de cada paciente para aumentar sua base de conhecimento.

>>> Se plantio de Cannabis for aprovado, preço de medicamento no mercado deve ficar 50% mais barato

A organização também está trabalhando em uma solução para pacientes cujos GPs estão relutantes em se envolver com a iniciativa. Eles afirmam que é importante ter tantos GPs participantes quanto possível, pois o processo de inscrição requer assistência profissional.

O processo

Em primeiro lugar, o paciente liga para o médico de família e permite que eles confirmem sua condição médica com Cancard.

O paciente então enviará sua inscrição, junto com uma foto de passaporte e seu endereço de e-mail do GP.

O GP recebe um formulário semelhante ao que é frequentemente solicitado para seguros de saúde privados – no sentido de que eles estão apenas confirmando um diagnóstico que atende aos critérios de elegibilidade para uma prescrição de Cannabis privada.

>>> Na próxima semana, Sechat traz a Cannabis medicinal para o centro do debate no Medical Talks Live

Agora, o formulário do GP volta ao Cancard assinado para revisão via e-mail e, finalmente, o Cancard é liberado para o paciente.

O processo de inscrição do Cancard não terá início até 1º de novembro de 2020, no entanto, os pacientes podem registrar seu interesse no esquema a partir de 9 de setembro.

Fonte: informações do site The Cannabis Exchange

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese