Desmistificando os benefícios da planta na terceira idade

Cannabis e idosos: desmistificando os benefícios da planta na terceira idade

Publicada em 20/02/2024

capa
Compartilhe:

O envelhecimento da população é uma realidade incontestável, e com ele surgem desafios crescentes para a manutenção da qualidade de vida na terceira idade. Nesse contexto, a cannabis medicinal desponta como uma alternativa promissora, oferecendo uma gama de benefícios que podem melhorar significativamente o dia a dia dos idosos. 

De acordo com Letícia Mayer, médica especializada em geriatria e cuidados paliativos da Gravital, clínica dedicada a tratamentos com cannabis e uma das expositoras da Medical Cannabis Fair, os derivados dessa planta têm o potencial de oferecer alívio para uma variedade de condições comuns em idosos. Estes incluem dor crônica, insônia, perda de peso, ansiedade, depressão, demências e sintomas da Doença de Parkinson, além de proporcionar efeitos neuroprotetores essenciais. 

Um dos aspectos mais promissores do uso medicinal da cannabis na terceira idade é sua eficácia no controle de doenças neurológicas. Em casos em que tratamentos convencionais falham, a cannabis pode representar uma nova esperança. A médica destaca que negar aos pacientes idosos essa opção terapêutica seria imprudente, especialmente quando enfrentam doenças sem cura definitiva. 

geriatra-leticia-mayer.jpg
Dra. Letícia Mayer

“Costumo dizer que, frente a doenças sem possibilidade de cura e com poucos recursos terapêuticos, negar a um paciente um tratamento que pode trazer benefícios é até imprudente”, ressaltou ela. 

Além do alívio da dor e melhora do sono e do apetite, a cannabis medicinal mostra-se eficaz no controle de sintomas ansiosos e depressivos, bem como na redução de inflamações e no manejo de doenças neurodegenerativas como Parkinson e Alzheimer. Para os idosos em tratamento contra o câncer, os benefícios se estendem ao alívio dos sintomas da quimioterapia, especialmente quando combinados com outras terapias direcionadas. 

Um campo de pesquisa em expansão é o uso da cannabis no tratamento da demência, uma condição cuja prevalência tende a aumentar significativamente nas próximas décadas. Embora os estudos ainda estejam em andamento, evidências anedóticas sugerem melhorias significativas no manejo de sintomas comportamentais como agitação, agressividade e insônia. 

Quanto ao tempo de resposta ao tratamento, Mayer observa que isso pode variar dependendo do sintoma tratado e da sensibilidade individual do paciente. No entanto, melhorias notáveis, especialmente no sono e na dor, podem ser observadas em questão de dias, enquanto para condições crônicas, os benefícios tendem a se manifestar ao longo das primeiras semanas ou meses de tratamento. 

Em suma, a cannabis medicinal oferece uma nova perspectiva no cuidado com a saúde dos idosos, proporcionando alívio para uma série de condições debilitantes e melhorando sua qualidade de vida de maneira significativa. Com mais pesquisas e uma abordagem informada, essa terapia promissora pode se tornar uma ferramenta vital na promoção do bem-estar na terceira idade.