Turismo legal de cannabis? Você pode reservar uma passagem para a América do Sul em breve!

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Curadoria e edição Sechat, com informações de Bloomberg

De acordo com uma nova proposta, os cidadãos estrangeiros poderão comprar cannabis no Uruguai em breve. O plano não é supostamente um esquema para promover o uso adulto, mas uma estratégia para ajudar a combater o mercado informal duradouro.

A Bloomberg relata que um formulador de políticas no país poderia apresentar uma proposta este ano que acabaria por impulsionar o turismo (de cannabis) no país.

Como o Uruguai foi o primeiro a legalizar o uso da planta, tornou-se um destino popular para usuários de cannabis de todo o mundo. No entanto, devido à legislação atual que proíbe os visitantes de comprar de forma legal, os estrangeiros no Uruguai estão se voltando para o mercado informal.

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

Os planos propostos pela administração visam acabar com a situação e criar um mercado regulado seguro.

Não vai acontecer este ano, no entanto. A temporada de verão está para começar no hemisfério sul, mas a proposta ainda não está pronta.

Daniel Radio, secretário-geral do Conselho Nacional de Drogas, disse:

Parece-me que, se fizermos uma boa proposta, o Uruguai poderá abrir seu mercado regulado de maconha aos turistas. Para a próxima temporada de turismo, é altamente improvável, mas eu não descartaria.

Daniel Radio

Como relata a Bloomberg, residentes adultos registrados (mesmo residentes estrangeiros com a permissão necessária) podem cultivar cannabis, entrar em um clube de cannabis e comprar até 40 gramas de cannabis por mês em qualquer farmácia autorizada.

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

Antes da legalização da Cannabis no Uruguai , o consumo da droga nunca foi oficialmente proibido. O cultivo e o fornecimento da planta, no entanto, eram proibidos – uma contradição que permitiu que o mercado ilegal de cannabis prosperasse.

Mas em 2011, uma única prisão pareceu despertar o apetite por reformas legislativas em todo o país.

Em julho de 2011, a autora Alicia Castilla (à direita na imagem), de  66 anos, foi recebida em sua casa por 14 policiais armados e colocada sob custódia por cultivo de cannabis. Castilla insistiu que suas plantas eram para uso pessoal, não para abastecimento. Enfrentando de dois a dez anos de prisão, Castilla começou a fazer manchetes em todo o Uruguai enquanto os cidadãos protestavam contra sua prisão.

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

Castilla logo se tornou conhecida como a ‘Avó Reefer’, e os legisladores até começaram a apresentar um projeto de legislação sobre a cannabis para ela revisar na prisão.

O cultivo de cannabis foi finalmente legalizado em 2014. Em julho de 2017, o Uruguai se tornou o primeiro país do mundo a introduzir a venda legal de cannabis em todo o território.

Veja também:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese