Um terço dos canadenses com câncer usam Cannabis medicinal

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Daqueles que relataram consumir cannabis seis meses antes da pesquisa, 36% eram novos usuários (Foto: Gustavo Fring/Pexels)

Cerca de um terço dos pacientes com câncer que participaram de um estudo afiliado à Universidade de Alberta, localizada na cidade de Edmonton, relataram o uso de Cannabis medicinal, porcentagem que subiu cerca de sete pontos entre 2007 e 2016.

“Dentro desta coorte de estudo de adultos canadenses com diagnóstico atual de câncer, o uso de cannabis não é incomum”, concluem os autores do estudo publicado este mês na Expert Reviews in Pharmacoeconomics & Outcome Research.

De acordo com os Regulamentos de Acesso a Medicamentos da Maconha, que entraram em vigor em 2001, as pessoas que tinham autorização de seu médico podiam ter acesso à cannabis desidratada para fins medicinais. Eles podem cultivá-la, nomear um produtor designado ou comprar cannabis de um fornecedor da Health Canada.

>>> Participe do grupo do Sechat no WhatsApp e receba primeiro as notícias

Dados da Pesquisa de Saúde da Comunidade Canadense de 2007 a 2016 mostraram que o uso de Cannabis medicinal entre os 4.667 participantes aumentou de 27,7%, entre 2007 e 2008, para 34,4%, entre 2015 e 2016. 

Um estudo anterior realizado por pesquisadores da mesma universidade, envolvendo pacientes adultos atendidos em centros de câncer, citou que 43% dos participantes relataram qualquer uso de cannabis na vida, com a maior deles obtendo sua planta de amigos, com apenas 10% a obtendo por meio de médicos regulamentados ou dispensários e 6% por outros meios.

>>> Óleos de CBD ou CBD puro, qual é o melhor para a inibição das células cancerosas?

Daqueles que relataram consumir cannabis seis meses antes da pesquisa, 36% eram novos usuários. “Suas razões para o uso incluíram dor relacionada ao câncer (46%), náusea (34%), outros sintomas de câncer (31%) e razões não relacionadas ao câncer (56%).

A Associação Nacional para a Reforma das Leis da Maconha (NORML) observa que, nos EUA, uma pesquisa anterior indicou que até 25% dos pacientes com câncer usam cannabis.

Apesar da adesão de alguns pacientes com câncer, a Canadian Cancer Society não parece estar totalmente convencida. “As pesquisas feitas até agora não fornecem uma resposta clara sobre a eficácia de fumar cannabis. A pesquisa mostra que alguns canabinoides podem ajudar com alguns sintomas e efeitos colaterais, e drogas contendo canabinoides foram desenvolvidas para tratar dores, náuseas e vômitos”, observam os pesquisadores.

Uma pesquisa realizada no Reino Unido no início deste ano relatou que testes de laboratório mostraram que uma forma modificada de Cannabis medicinal pode matar ou inibir as células cancerosas sem afetar as células normais, revelando seu potencial como um tratamento em vez de simplesmente um medicamento de alívio.

>>> Estudo sugere que a cannabis medicinal pode prevenir câncer de cólon

No Canadá, pode ser que, com a cannabis para uso adulto sendo legalizada há dois anos, a porcentagem atual de pacientes com câncer que a utilizam seja ainda maior do que era em 2016. Dito isso, se as pessoas estão usando apenas Cannabis medicinal ou uso adulto para controlar sua saúde, sintomas relacionados a algumas doenças podem ser afetados também.

A Canadian Pharmacists Association (CPA) relatou em julho de 2019 que um quarto dos consumidores de Cannabis medicinal entrevistados disseram que era mais difícil acessar a cannabis desde a legalização.

Além do acesso, questões de abastecimento, preço da cannabis ou uma combinação dessas três questões resultou em 64% dos usuários de Cannabis medicinal tomando uma subdosagem ou racionando o medicamento, observou a CPA, citando resultados de uma pesquisa encomendada conjuntamente por canadenses para o Acesso Justo a Maconha medicinal, Sociedade de Artrite e CPA.

Fonte: Angela Stelmakowich/The Growth Op, com curadoria e edição de Sechat

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese