Gigantes do mercado farmacêutico fecham acordo bilionário para encerrar processos judicias por opioides

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Um opioide é qualquer composto químico psicoativo que produza efeitos farmacológicos semelhantes aos do ópio ou de substâncias nele contidas. (Foto: Ap Photo/J. Hill)

Curadoria e edição de Sechat Conteúdo, com informações de Hightimes

Não é de hoje que os opioides vem causando tumulto em diversos países do mundo. Nos Estados Unidos, a droga matou mais pessoas do que a maioria das grandes guerras, razão pela qual receberam um dos maiores pacotes de ações judiciais coletivas da história.

Grandes farmacêuticas e distribuidoras de produtos como a McKesson, AmerisourceBergen, Cardinal Health e a Johnson & Johnson, são tidos como os principais culpados por alimentar a epidemia de opioides na América do Norte.

Com um coro de cerca de 3.000 processos judiciais de governos estaduais, prefeituras e até organizações tribais, acusando as empresas de fomentar a crise dos opioides, três dos maiores atacadistas farmacêuticas chegaram ao um valor de US$ 26 bilhões que seriam destinados especificamente para esses casos.

De acordo com o grupo de procuradores-gerais do estado, responsáveis pela condução do tratado, as determinações ficaram assim:

A Johnson & Johnson pagará US $ 5 bilhões em nove anos;

A AmerisourceBergen pagará US $ 6,4 bilhões em 18 anos;

A Cardinal Health pagará US $ 6,4 bilhões ao longo de 18 anos;

E finalmente, a McKesson pagará US $ 7,9 bilhões ao longo de 18 anos. 

Todas as empresas já reservaram fundos em antecipação a esse acordo e garantem que pretendem finalizar essa pendência judicial o quanto antes. 

O número de mortes por opioides sintéticos ultrapassou muito o número total de mortes por overdose de drogas com heroína, metanfetamina e outras drogas de rua , de acordo com várias agências que reportam ao governo federal americano. Acompanhe o gráfico:

Mortes por overdose com envolvimento de drogas em nível nacional, número entre todas as idades, 1999 – 2019

Centro de Controle e Prevenção de Doenças (EUA) Foto: reprodução

Os líderes estaduais estão entusiasmados em responsabilizar as empresas por seus papéis na crise, que claramente saiu do controle. Embora existam pessoas com altos níveis de dor que têm uma necessidade genuína de opioides poderosos, o abuso é galopante.

Em um comunicado à imprensa de 21 de julho, o procurador-geral da Carolina do Norte, Josh Stein, por exemplo, ele não mostrou às corporações um pingo de simpatia pelas empresas farmacêuticas em seu anúncio:

A epidemia de opioides separou famílias e matou milhares de carolinianos do Norte. Famílias em todo o nosso estado compartilharam comigo suas histórias comoventes sobre seus entes queridos que estão lutando contra a terrível doença do vício ou que tiveram uma overdose e morreram. Foi uma verdadeira honra em nome deles liderar essas negociações para responsabilizar as empresas que ajudaram a criar e alimentar esta crise.

Josh Stein

Os advogados que representam o estado de Oklahoma acusaram o conglomerado de saúde de desempenhar um papel central na epidemia de opioides nos Estados Unidos.

“Eles não vieram de um cartel mexicano. Eles chegaram aqui da indústria farmacêutica, e o chefão de todos eles é a Johnson & Johnson “, reforça advogado do estado de Oklahoma Brad Beckworth.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese