‘Inimigo’ da Cannabis medicinal, Osmar Terra é exonerado do cargo de ministro da Cidadania

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) foi exonerado, nesta quinta-feira (13), do cargo de ministro da Cidadania pelo presidente Jair Bolsonaro. Quem assume a autarquia é Onyx Lorenzoni, que estava na Casa Civil.

A saída de Terra vinha sendo alvo de especulação na imprensa, que noticiava informações dos “corredores” do governo. O deputado re-assume suas funções no Congresso, onde atua há seis mandatos.

Osmar Terra deu diversas declarações se opondo ao uso da Cannabis medicinal, alegando que abriria-se um precedente para o uso adulto, além de criticar sua eficácia e falar sobre “interesses ocultos” dos defensores do uso da planta como remédio.

Aliados de Terra chegaram a criar a hashtag “ficaosmarterra” nas redes sociais e, entre os comentários, atribuiam à queda do emedepista ao seu posicionamento contra a maconha.

Um tweet de um de seus apoiadores diz: “Sua permanência é fundamental na luta contra a liberação das drogas e ajuda aos mais necessitados”.

Juntamente com as publicações consta a foto de uma suposta mãe que “perdeu seu filho para as drogas”.

Recentemente, Osmar Terra parafraseou um versículo bíblico para criticar um vídeo antigo no qual aparecem Caetano Veloso e Paula Lavigne defendendo a descriminalização da maconha.

Briga com o Sechat

O ex-ministro atacou o sócio e diretor científico do portal Sechat em uma rede social em janeiro deste ano. O político criticou uma entrevista que neurocirurgião Pedro Antônio Pierro Neto concedeu ao jornal Folha de S.Paulo, na qual o médico fala sobre os altos e baixos da Cannabis medicinal em 2019 e as perspectivas para 2020.

“Continua funcionando na imprensa o lobby de promoção da maconha! Alguém tem que dizer a este senhor que tanto a Lei quanto o Conselho Federal de Medicina proíbem a venda e o uso da maconha. É crime!”, escreveu o ministro no Twitter.

Após ser desmentido por Pierro, Osmar Terra voltou a atacar o diretor do Sechat com a falsa acusação de “lucrar com o consumo de maconha”.

A Sbec (Sociedade Brasileira de Estudos da Cannabis) divulgou um manifesto de apoio ao Dr. Pedro Antonio Pierro Neto.

Uso de informações falsas

Esta não é a primeira vez que Osmar Terra usa informações falsas sobre a maconha. Em agosto, a agência de checagem de fatos Lupa analisou os dados repetidos no discurso do político contra a legalização da planta e contabilizou duas mentiras, duas falas imprecisas e uma exagerada. Apenas uma afirmação do ministro fora verdadeira.

No portal Sechat, a seção ‘doenças’ traz estudos científicos sobre os benefícios da Cannabis em 13 patologias diferentes. Os estudos mostram que o THC também é medicinal, assim como outros canabinoides. Porém, o risco de efeitos colaterais existe, assim como qualquer fármaco.



Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES
ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese