Cannabis na Bíblia acende debate sobre fatos e interpretações na Câmara Municipal de Aracaju

Vereador Pastor Diego refuta associação da planta a práticas antigas: “Não há menção ao consumo de cannabis nas escrituras”

Publicada em 06/06/2024

capa
Compartilhe:

Na sessão recente da Câmara Municipal de Aracaju, a afirmação da vereadora Professora Sonia Meire sobre a presença do uso da cannabis na Bíblia desencadeou um acalorado debate. O vereador Pastor Diego, rápido em sua resposta, ressaltou a necessidade de contextualização ao interpretar os textos sagrados, negando categoricamente qualquer menção direta à cannabis nas escrituras sagradas.

“A Bíblia é a palavra de Deus. Toda vez que nós vamos fazer pesquisas na palavra, precisamos entender que há uma regra básica: nunca se deve analisar um versículo de forma isolada sem verificar o seu contexto. Ou seja, toda vez que você for fazer uma afirmação é necessário estudar o contexto geográfico, cultural e a quem se dirigia àquela palavra”, enfatizou o parlamentar.  

Ao trazer à tona a discussão sobre a possível utilização histórica e religiosa da cannabis, a vereadora psolista baseou-se em referências do livro de Êxodo, argumentando que termos como "cálamo", "cana aromática" e "cânhamo" eram sinônimos da planta. No entanto, o Pastor Diego rebateu essa afirmação, destacando a importância de uma análise cuidadosa do contexto e ressaltando a falta de evidências concretas que respaldem essa interpretação.

A controvérsia levantada não se limita apenas ao debate sobre o uso da cannabis, mas também se estende à questão da legalização e seus potenciais impactos sociais. Pastor Diego expressou ainda sua oposição à descriminalização, levantando preocupações sobre os possíveis efeitos negativos que poderiam surgir.