Ontem, hoje e amanhã: cada coisa a seu tempo

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Para Augusti, embora o substitutivo ao PL 399/2015 não trate das questões relativas ao autocultivo, nem do uso recreativo, religioso e ritualístico - o que tem feito com que muitos adeptos do uso livre da Cannabis se posicionem contra o projeto nos moldes em que se apresenta - o fato é que há um projeto em andamento, que não contempla os anseios de todos, mas atende às necessidades de muitos (Foto: Arquivo pessoal)

Coluna de Waldir A. Augusti*

Servimo-nos desta celebre frase dita por Dalai Lama ao referir-se à importância do hoje e das realizações que somos capazes no decorrer de suas horas. Em muitas ocasiões, nos vemos tão envolvidos com planejamentos e projetos futuros, que acabamos por esquecer da importância daquilo que podemos realizar agora.

Se tivéssemos todas as respostas e concordâncias para o que desejamos realizar, seríamos apenas receptáculos e repetidores de coisas prontas, que quando muito, adaptaríamos às nossas necessidades.

Um outro grande sábio nos ensinou que “o caminho se faz caminhando”, ou seja, alcançamos nossos objetivos passo-a-passo sendo que, por vezes, nos vemos obrigados a dar um ou mais passos para trás. E isso é algo que devemos encarar com naturalidade, afinal, se tivéssemos todas as respostas e concordâncias para o que desejamos realizar, seríamos apenas receptáculos e repetidores de coisas prontas, que quando muito, adaptaríamos às nossas necessidades.

Outro fator preponderante em situações como esta, que pode interferir diretamente no avanço de novas propostas ou projetos, recai sobre o desejo que nutrimos de que nossas ideias e modus operandi sejam acatados peremptoriamente sem nenhuma interferência.

Direcionando nossa atenção para a questão que trata da regulamentação do uso medicinal da Cannabis no Brasil, nos deparamos com o processo em andamento na Câmara Federal. Passados 5 anos desde a apresentação do PL na Câmara, a Comissão Especial incumbida de analisá-lo deu por encerrados os trabalhos em agosto de 2020.

Direcionando nossa atenção para a questão que trata da regulamentação do uso medicinal da Cannabis no Brasil, nos deparamos com o processo em andamento na Câmara Federal, instaurado através do Projeto de Lei 399/2015 de autoria do Deputado Fábio Mitidieri (PSD-SE). Passados 5 anos desde a apresentação do PL na Câmara, a Comissão Especial incumbida de analisá-lo deu por encerrados os trabalhos em agosto de 2020.

Atualmente o PL 399/2015 continua em tramitação com um texto substitutivo apresentado pelo relator, deputado Luciano Ducci (PSB-PR). O texto é direto em relação aos objetivos do projeto de lei: “Regulamentar as atividades de cultivo, processamento, armazenagem, transporte, pesquisa, produção, industrialização, comercialização, exportação e importação de produtos à base de Cannabis para fim medicinal e industrial.”

O projeto não trata das questões relativas ao autocultivo, nem do uso recreativo, religioso e ritualístico, o que tem feito com que muitos adeptos do uso livre da Cannabis se posicionem contra o projeto nos moldes em que se apresenta.

O projeto não trata das questões relativas ao autocultivo, nem do uso recreativo, religioso e ritualístico, o que tem feito com que muitos adeptos do uso livre da Cannabis se posicionem contra o projeto nos moldes em que se apresenta.

A estes amigos e reconhecidamente batalhadores incansáveis, manifestamos todo nosso respeito às suas posições. No entanto, tomamos a liberdade de conclamá-los a apoiar o PL 399/2015, em nome dos milhares de pessoas que serão beneficiadas por ele. 

O projeto pode não atender às ansiedades e objetivos de todos, mas não deixa de representar um grande avanço para nosso país. 

Hoje, temos um projeto em andamento, que não contempla os anseios de todos, mas atende às necessidades de muitos. Quando o amanhã se tornar hoje, outras demandas virão e para elas estaremos prontos e unidos em nossa jornada, seguindo em frente de esperança em esperança na esperança sempre.

Sob a regulamentação do uso medicinal da Cannabis, tínhamos ontem a demanda de encontrar alguém que apresentasse um projeto de lei junto à Câmara Federal. Hoje, temos um projeto em andamento, que não contempla os anseios de todos, mas atende às necessidades de muitos. Quando o amanhã se tornar hoje, outras demandas virão e para elas estaremos prontos e unidos em nossa jornada, seguindo em frente de esperança em esperança na esperança sempre.

Shalom!

*Waldir A. Augusti é professor, licenciado em Filosofia, bacharelando em Teologia, escritor e colunista do Sechat. Ao lado do Padre Ticão (in memoriam) fundou e atualmente é coordenador da Escola de Cidadania da Zona Leste, em São Paulo.

As opiniões veiculadas nesse artigo são pessoais e não correspondem, necessariamente, à posição do Sechat.

Veja outros artigos de nossos colunistas: 

Alex Lucena 

– Inovação e empreendedorismo na indústria da Cannabis (19/11/2020)

– Inovar é preciso, mesmo no novo setor da Cannabis (17/12/20)

 Sem colaboração, a inovação não caminha (11/02/2021)

Fabricio Pamplona

– Os efeitos do THC no tratamento de dores crônicas (26/01/2021)

 Qual a dosagem ideal de canabidiol? (23/02/2021)

Fernando Paternostro

– As multifacetas que criamos, o legado que deixamos (11/3/2021)

Jackeline Barbosa

 Cannabis, essa officinalis (01/03/2021)

Ladislau Porto

– O caminho da cannabis no país (17/02/2021)

Marcelo de Vita Grecco

– Cânhamo é revolução verde para o campo e indústria (29/10/2020)

– Cânhamo pode proporcionar momento histórico para o agronegócio brasileiro (26/11/2020)

– Brasil precisa pensar como um país de ação, mas agir como um país que pensa (10/12/2020)

– Por que o mercado da cannabis faz brilhar os olhos dos investidores? (24/12/2020)

– Construção de um futuro melhor a partir do cânhamo começa agora (07/01/2021)

– Além do uso medicinal, cânhamo é porta de inovação para a indústria de bens de consumo (20/01/2021)

 Cannabis também é uma questão de bem-estar (04/02/2021)

– Que tal CBD para dar um up nos cuidados pessoais e nos negócios? (04/03/2021)

– Arriba, México! Regulamentação da Cannabis tem tudo para transformar o país (18/03/2021)

Maria Ribeiro da Luz

Em busca do novo (23/03/2021)

Paulo Jordão

– O papel dos aparelhos portáteis de mensuração de canabinoides (08/12/2020)

– A fórmula mágica dos fertilizantes e a produção de canabinoides (05/01/2021)

– Quanto consumimos de Cannabis no Brasil? (02/02/2021)

 O CannaBioPólen como bioindicador de boas práticas de cultivo (02/03/2021)

Pedro Sabaciauskis

– O papel fundamental das associações na regulação da “jabuticannábica” brasileira (03/02/2021)

 Por que a Anvisa quer parar as associações? (03/03/2021)

Ricardo Ferreira

– Da frustração à motivação (03/12/2020)

– Angels to some, demons to others (31/12/2020)

 Efeitos secundários da cannabis: ônus ou bônus? – (28/01/2021)

 Como fazer seu extrato render o máximo, com menor gasto no tratamento (25/02/2021)

Rodolfo Rosato

– O Futuro, a reconexão com o passado e como as novas tecnologias validam o conhecimento ancestral (10/02/2021)

– A Grande mentira e o novo jogador (10/3/2021)

Rogério Callegari

– Sob Biden, a nova política para a cannabis nos EUA influenciará o mundo (22/02/2021)

– Nova Iorque prestes a legalizar a indústria da cannabis para uso adulto (17/03/2021)

Stevens Rehen

 Cannabis, criatividade e empreendedorismo (12/03/2021)

Waldir Aparecido Augusti

– Busque conhecer antes de julgar (24/02/2021)

Wilson Lessa

– O sistema endocanabinoide e os transtornos de ansiedade (15/12/2020)

– O transtorno do estresse pós-traumático e o sistema endocanabinoide (09/02/2021)

– Sistema Endocanabinoide e Esquizofrenia (09/03/2021)

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese