Proibição de CBD: decisão do tribunal francês pode afetar a indústria de canabidiol na Europa

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O advogado-geral Tanchev apresentou seu parecer perante o Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) declarando a proibição francesa do canabidiol derivado do cânhamo ( CBD ), contrário à legislação da União Europeia, o que poderia ter grandes implicações para a indústria da CBD na Europa se o Tribunal seguir o parecer do advogado-geral.

Atualmente, Antonin Cohen, ex-gerente de Kanavape, está sendo processado na França por vender produtos vaping fabricados com CBD natural. O marco regulatório francês proíbe atualmente a comercialização de produtos derivados de toda a planta e, portanto, de todos os produtos que contenham CBD, enquanto o uso de CBD sintético (quimicamente idêntico) é, geralmente, permitido. Em sua opinião, o advogado-geral conclui que: “[o direito da UE] impede que um Estado-Membro proíba a importação de óleo de canabidiol de outro Estado-Membro, onde esse óleo é extraído de toda a planta de cânhamo, e não apenas de sua fibras e sementes, uma vez que, no atual estado do conhecimento científico, não foi estabelecido que o óleo de canabidiol tenha efeitos psicotrópicos. ”

O advogado-geral defendeu ainda uma regulamentação proporcional dos produtos CBD na Europa, menos restritiva à livre circulação de mercadorias (por exemplo, através do estabelecimento de um conteúdo máximo de CBD).

Impacto no mercado europeu de CBD

A Allen & Overy representa Cohen no processo de decisão prejudicial no TJUE (processo C-663/18).

Eveline Van Keymeulen, consultora do escritório de Allen & Overy em Paris e responsável pela prática global de Ciências da Vida e Regulação da Cannabis, que está auxiliando Cohen nos procedimentos, disse: “Se o Tribunal seguir a opinião do advogado-geral, sua decisão terá um impacto significativo na indústria de CBD na Europa, que está perdendo participação de mercado em comparação com outras regiões, como os EUA e o Canadá, devido ao quadro jurídico fragmentado e inapto.”

A consultora ainda afirmou que a decisão do Tribunal estabeleceria um precedente vinculativo ao alcance europeu, não apenas exigiria que a França adaptasse sua legislação para permitir a comercialização de CBD extraído de toda a planta de cânhamo, mas também poderia forçar outros reguladores nacionais a (re) examinar as restrições existentes relacionadas aos produtos derivados do cânhamo à luz da livre circulação de mercadorias na UE.

“A opinião do advogado-geral é, portanto, um passo crucial para a necessária harmonização regulatória e segurança jurídica para a indústria de CBD na Europa. Além disso, uma regulamentação clara e proporcional dos produtos baseados em CBD acabará por beneficiar os consumidores da UE.”

A decisão do Tribunal deverá ser proferida a partir de setembro de 2020. Na grande maioria dos casos, o Tribunal segue o parecer do advogado-geral.

Falta de clareza

Antonin Cohen, co-diretor da Kanavape, disse: “Quando lançamos nosso produto em 2014, o CBD era desconhecido. Nosso objetivo sempre foi comercializar um produto útil e legal, e realizamos uma análise jurídica para validar a conformidade da CBD. A duração desses procedimentos – mais de cinco anos – e o encaminhamento ao TJUE demonstram a falta de clareza nos regulamentos atuais e a necessidade de fornecer uma estrutura clara para a produção e uso da CBD na França e na Europa.”

Cohen afirmoa que, do ponto de vista pessoal, essa opinião é um verdadeiro alívio. “É muito difícil combater esses desafios legais por tanto tempo, mas eu tenho adotado essa abordagem porque é vital criar regulamentos claros para proteger a saúde dos consumidores e apoiar a competitividade das empresas francesas e europeias em um setor global que está crescendo muito rápido.”

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese