Consumo de cannabis entre jovens não apresentou aumento depois de estados americanos legalizarem o uso adulto, aponta relatório

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Estudos anteriores que analisaram as taxas de uso de adolescentes após a legalização descobriram quedas no consumo ou uma falta semelhante de evidências indicando que houve um aumento (Foto: Reprodução/Marijuana Moment)

Curadoria e edição de Sechat Conteúdo, com informações de Marijuana Moment (Kyle Jaeger)

Um novo relatório federal está novamente desafiando a narrativa proibicionista de que a legalização da cannabis leva ao aumento do consumo entre os jovens.

Desta vez, o Centro Nacional de Estatísticas da Educação do Departamento de Educação dos Estados Unidos (NCES) analisou algumas pesquisas de alunos do ensino médio de 2009 a 2019, concluindo que “não houve diferença mensurável” na porcentagem de alunos da 9ª à 12ª série que relataram consumir cannabis pelo menos uma vez nos últimos 30 dias.

>>> Siga o Sechat no INSTAGRAM

O relatório, que se baseia, sobretudo, em dados do Sistema de Vigilância de Comportamentos de Risco Juvenil, também constatou que o acesso permaneceu estável durante esse período, sem alterações estatisticamente significativas na porcentagem de jovens que afirmam ter recebido, vendido ou presenteado drogas ilegais no ambiente escolar nos 30 dias anteriores.

O que torna o relatório notável é o cronograma

Os oponentes da reforma da cannabis frequentemente argumentam que a legalização do uso adulto nos estados estimula menores de idade a usar a cannabis. Não havia mercados de uso adulto em 2009 e, naquele ano, 21% dos alunos do ensino médio relataram uso após 30 dias. As primeiras vendas legais foram lançadas no Colorado em 2014 – entretanto, cinco anos depois disso, 22% dos adolescentes disseram ter usado cannabis recentemente.

A maior porcentagem de uso relatado nos últimos 30 dias nesta análise ocorreu em 2011 – antes que qualquer estado tivesse legalizado para uso adulto.

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

Além disso, não houve “nenhuma diferença mensurável entre 2009 e 2019 na porcentagem de alunos que relataram que drogas ilegais foram disponibilizadas para eles nas propriedades da escola”, disse o NCES.

Os defensores costumam resistir ao argumento proibicionista sobre a relação entre os esforços de reforma em nível estadual e o consumo dos jovens. Eles sustentam que o estabelecimento de um mercado regulado, com limites de idade e requisitos de identificação, permite que adultos tenham acesso aos produtos, ao mesmo tempo em que cria barreiras adicionais para menores.

Estudos anteriores

E esse ponto foi apoiado por vários estudos e relatórios sobre o assunto. Incluindo uma análise anterior da mesma pesquisa conduzida pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças. A agência descobriu que o consumo de cannabis entre os alunos do ensino médio diminuiu durante os anos de pico da legalização do uso adulto no estado.

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

“Não houve nenhuma mudança na taxa atual de uso de cannabis  entre estudantes do ensino médio de 2009-2019”, descobriu a pesquisa. Quando analisado usando um modelo de mudança quadrática, no entanto, o consumo de cannabis ao longo da vida diminuiu durante esse período.

Outro estudo divulgado por funcionários de dispensários do Colorado no ano passado mostrou que o consumo de cannabis pelos jovens no estado “não mudou significativamente desde a legalização” em 2012.

Estudos anteriores que analisaram as taxas de uso de adolescentes após a legalização descobriram quedas no consumo. Ou descobriram uma falta semelhante de evidências indicando que houve um aumento.

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

Em 2019, por exemplo, um estudo pegou dados do estado de Washington e determinou que o declínio do consumo de cannabis pelos jovens poderia ser explicado pela substituição do mercado ilícito por regulamentações ou pela “perda de apelo à novidade entre os jovens”. Outro estudo do ano passado mostrou o declínio do consumo de cannabis pelos jovens em estados legalizados, mas não sugeriu possíveis explicações.

Confira outros conteúdos sobre a cannabis nos EUA publicados pelo Sechat:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese