Governo americano se une a empresa para fabricar cosméticos à base de cânhamo

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
O objetivo é adotar uma abordagem inovadora para o processamento de cânhamo para criar “cosmecêuticos” ou ingredientes que executam funções específicas, como proteger a pele da luz ultravioleta (Foto: USDA)

Curadoria e edição de Sechat Conteúdo, com informações de Marijuana Moment (Kyle Jaeger)

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) está se unindo a uma empresa de fabricação de produtos químicos em um projeto de dois anos. A parceria pode expandir significativamente o mercado de cosméticos à base de cânhamo.

O objetivo é adotar uma abordagem inovadora para o processamento de cânhamo para criar “cosmecêuticos” ou ingredientes que executam funções específicas. Tais funções são, por exemplo, proteger a pele da luz ultravioleta, reter a umidade ou estabilizar outros ingredientes ativos usados ​​em formulações de cuidados com a pele.

>>> Siga o Sechat no INSTAGRAM

O Serviço de Pesquisa Agrícola do USDA anunciou na terça-feira (27) que trabalhará com o Centro de Bioprocessamento do Meio-Oeste (MBC), com sede em Illinois. Eles irão aplicar o processo conhecido como “bio-catálise” ao óleo de semente de cânhamo. Em vez de depender de “produtos químicos agressivos e solventes” para ligar antioxidantes a gorduras em produtos como óleo vegetal, a bio-catálise envolve o uso de enzimas e calor para facilitar essa ligação.

O potencial do cânhamo

Agora, a agência federal está interessada em explorar o potencial de aplicação desse processo ao óleo de semente de cânhamo. Este é o exemplo mais recente do USDA explorando maneiras de expandir a indústria, uma vez que a safra foi legalizada em 2018.

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

“Colaborar com parceiros da indústria como a MBC, que tem experiência em enzimologia e infraestrutura para aumento de escala, é fundamental para explorar o uso expandido de nossa tecnologia original”, disse David Compton, do USDA , em um comunicado à imprensa.

A agência também observou que, além dos mercados de cosméticos e cuidados pessoais, seus pesquisadores também estão procurando maneiras de “processar melhor o cânhamo em combustíveis, lubrificantes e adesivos, bem como ingredientes alimentares funcionais e produtos de fibra.”

O USDA também anunciou recentemente que está buscando permissão para coletar dados adicionais sobre a produção de cânhamo de dezenas de milhares de agricultores e pecuaristas.

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

Planos de pesquisa com a cannabis

No entanto, no ano passado, o USDA anunciou planos de distribuir uma pesquisa nacional separada para obter insights de milhares de empresas de maconha que poderiam informar sua abordagem para regulamentar a indústria.

Enquanto isso, o secretário de Agricultura, Tom Vilsack, que é amplamente considerado um aliado da indústria do cânhamo, aprovou os regulamentos nacionais do cânhamo após uma revisão departamental que começou durante a transição presidencial de Biden. Essas regras entraram em vigor formalmente em 22 de março.

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

O USDA divulgou a regra final em janeiro – cerca de dois anos depois que a safra foi legalizada federalmente. As partes interessadas da indústria dizem que a aprovação dessas regulamentações geralmente representa um passo positivo que fornecerá às empresas a orientação necessária. Mas eles também apontaram uma série de políticas que esperam revisar à medida que o mercado cresce, como os requisitos de teste de cânhamo.

Confira outros conteúdos sobre o mercado do cânhamo publicados pelo Sechat:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese