Governos da Argentina e de Israel trocam conhecimentos sobre a Cannabis medicinal

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Embaixada da Argentina em Israel tem estreitado as relações com a Agência de Cannabis Medicinal, vinculada ao Ministério da Saúde do país do Oriente Médio, além de especialistas do Instituto Volcani, que trata do desenvolvimento e da tecnologia agropecuária. A ideia é gerar ações que visem a transferência de conhecimento de Israel – país líder mundial em pesquisa -, e projetos de desenvolvimento e intercâmbio de aspectos legais sobre o assunto.

O embaixador argentino em Israel, Sergio Urribarri, revelou na semana passada que tem mantido uma série de reuniões de trabalho com autoridades de províncias como Jujuy e Entre Ríos e com legisladores nacionais, a fim de promover o desenvolvimento da indústria da Cannabis medicinal na Argentina. 

Israel é um dos países mais avançados do mundo em estudos de Cannabis medicinal

Segundo Urribarri, Israel é um dos países mais avançados do mundo em termos de pesquisa, legislação, treinamento e desenvolvimento da indústria da cannabis medicinal. “Queremos facilitar a transferência de todo esse conhecimento para o nosso país”, disse. “Israel está muito interessado e está a olhar para a investigação e desenvolvimento que cresce na Argentina nesta matéria.”

Essas instituições buscam impulsionar diferentes iniciativas de trabalho, entre elas a possibilidade de estabelecer um intercâmbio com legisladores e autoridades argentinas sobre os avanços no desenvolvimento institucional e regulatório ocorridos em Israel em relação à indústria da cannabis.

Cannabis tem potencial na saúde e no desenvolvimento produtivo e industrial

O presidente da Cannabis Avatara, sociedade estatal que promove a pesquisa e o desenvolvimento de lavouras de Jujuy, Gastón Morales, descreveu a experiência realizada na província para traçar uma política de estado voltada para a satisfação da necessidade de saúde pública de fornecer medicamentos derivados da Cannabis a pessoas que sofrem de diferentes doenças. Ao mesmo tempo, ele mencionou a importância de desdobrar o potencial produtivo e de desenvolvimento representado pelo cultivo e processamento da planta. “Consideramos muito valioso poder conhecer em primeira mão a experiência de Israel, que o levou a ser um dos mais destacados no assunto”, destacou.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese