Jay-Z lança sua própria linha de Cannabis

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Embora continue ilegal em nível federal, mais da metade dos estados dos EUA já legalizou a Cannabis medicinal, com algumas regiões permitindo o uso adulto (Foto: Kevin Mazur/Getty Images)

A nova linha de produtos do rapper Jay-Z  chega ao mercado hoje (23). Apelidada de Monogram, ela busca “redefinir o que a cannabis significa para os consumidores hoje” por meio de “seleção cuidadosa de variedades, práticas de cultivo meticulosas e qualidade intransigente”, de acordo com um comunicado à imprensa. O lançamento da marca ocorre por meio de uma plataforma de e-commerce de mesmo nome.

>>> Estados norte-americanos estão cada vez mais libertando presos por porte de cannabis

A Monogram se baseia no crescente arsenal de negócios de Jay-Z, todos os quais o ajudaram a ganhar o título de primeiro bilionário do rap. O artista que fez o famoso rap de “Não sou um empresário, sou um negócio, cara” é o dono do serviço de streaming Tidal e da empresa de entretenimento Roc Nation, que abrange gestão de artistas e atletas, gravação, publicação, turnês, cinema e televisão , e também formou parcerias com marcas de bebidas como Armand de Brignac e D’Usse. Para ajudar a promover a Monogram, Jay-Z lançou uma nova playlist do Tidal, “Monogram: Sounds From The Grow Room”, incluindo faixas como “Expensive Shit” de Fela Kuti e “Legalize It” de Peter Tosh.

>>> Cinco estados norte-americanos votam pela legalização da Cannabis

Embora continue ilegal em nível, mais da metade dos estados dos EUA legalizou a Cannabis medicinal, com algumas regiões permitindo o uso adulto. Enquanto os planos para expandir a indústria da cannabis viraram fumaça por causa da pandemia, acredita-se que mais estados podem legalizar a cannabis ainda em 2021.

O papel de Jay-Z na Caliva, com sede em San Jose, não envolve apenas aconselhar a empresa sobre decisões criativas, esforços de divulgação e estratégia, mas também defender as questões de justiça social relacionadas à legalização da cannabis. A fiscalização agressiva das leis de porte da planta mostrou ter um viés racial: apesar das taxas de uso aproximadamente iguais, os negros americanos têm 3,73 vezes mais probabilidade do que os brancos de serem presos por porte, de acordo com a ACLU.

>>> Congresso americano votará para retirar a Cannabis da lista de substâncias controladas

“Achamos que é um mar de mudança em termos de visibilidade para a indústria”, disse Dennis O’Malley, diretor executivo da Caliva, à CNN Business. “Assumimos essa parceria com muita responsabilidade, muita humildade, muita responsabilidade no futuro.”

Fontes: Billboard e CNN

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese