Disbiose oral x Cannabis medicinal

O uso medicinal da cannabis se mostra eficaz não só nos tratamentos de distúrbios odontológicos, mas também no auxílio em patologias intestinais, cardíacas e cerebrais

Publicada em 06/08/2023

capa
Compartilhe:

Por Cynthia de Carlo

Querido leitor, primeiramente vamos entender o que é uma DISBIOSE.

É uma condição clínica, que acontece quando a microbiota oral (flora de microrganismos da cavidade bucal) sofre com o desequilíbrio das bactérias, isto é, quando as bactérias ruins sobrepõem as bactérias boas. 

Quando nós alteramos nosso PH bucal, deixando-o mais ácido, criamos um ambiente favorável para essas bactérias ruins se desenvolverem, vale lembrar que essas bactérias são responsáveis por várias doenças.

Devido a deglutição da saliva que realizamos constantemente, já que produzimos diariamente cerca de 1,5 litros, somos responsáveis por esse trânsito constante das bactérias pelo nosso organismo. 

As bactérias que se apresentam na boca, são as mesmas bactérias que estão presentes no nosso intestino, sendo assim, hoje na odontologia atual, nós profissionais da área e da saúde em geral, nos preocupamos em ficarmos atentos não só com a higiene bucal dos pacientes, como também com sua alimentação, ingestão de água além, é claro, com a gengiva dos mesmos, uma das primeiras barreiras de proteção em relação ao sistema imunológico. 

Portanto, quando o organismo está em desequilíbrio devido à falta de nutrientes, baixas hormonais e a presença predominante de bactérias ruins, elas transpassam a barreira (que é a gengiva), sendo transportadas pela corrente sanguínea e podendo atingir nossos órgãos vitais como cérebro, pulmão, intestino e coração, causando um aumento da inflamação sistêmica por todo o corpo.

A importância da higienização oral, com a limpeza dental correta, aliados com a escovação da língua, torna-se fundamental para evitarmos essas disbioses.

O tratamento e cuidado da boca, que é a maior cavidade do corpo humano com comunicação com o meio externo, é importante e a grande responsável por detectar e evitar problemas. Fato é que hoje, os dentistas têm a obrigação de analisar os pacientes como um todo e auxiliar os colegas médicos no diagnóstico de inúmeras doenças.

Terapia canabinoide aliada à cuidados paliativos

O uso medicinal da cannabis se mostra eficaz não só nos tratamentos de distúrbios odontológicos, mas também no auxílio em patologias intestinais, cardíacas e cerebrais devido às suas mais variadas propriedades. Assim, a prescrição de canabinoides para os pacientes que apresentem essas alterações mencionadas acima e detectadas pela boca,  contribuirá para uma saúde equilibrada e benéfica aos pacientes. 

Além do uso sistêmico da cannabis medicinal, com o óleo sublingual, devemos prescrever os produtos tópicos produzidos a partir da planta, para higienização dental, como os cremes dentais e enxaguantes bucais para manutenção desse equilíbrio e fortalecimento da barreira gengival, mas nunca deixando de fora a atuação mecânica do dentista, com as remoções de cáries, raspagens e profilaxias necessárias e de suma importância.

A interligação das patologias cardíacas, pulmonares, cerebrais, endócrinas e intestinais com a área periodontal, já foram comprovadas em vários artigos e estudos internacionais. Nas próximas colunas trarei mais detalhes.

Lembre sempre que a saúde começa pela boca!

As opiniões veiculadas nesse artigo são pessoais e de responsabilidade de seus autores.

Sobre a autora: Cynthia De Carlo é cirurgiã-dentista formada há 31 anos pela UNITAU, pós-graduada em Periodontia, Implante e Pediatria. Além disso, é membro da SBEC (Sociedade Brasileira de Estudos da Cannabis).