O efeito Entourage: Como os compostos de Cannabis funcionam juntos?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Imagine que o canabinoide CBD (canabidiol) é um cavaleiro cuja versatilidade o torna um protetor eficaz e eficiente de seu reino físico. No entanto, mesmo um cavaleiro é frequentemente tão bom quanto sua comitiva permite que ele seja…

Os dois canabinoides mais conhecidos são o THC psicoativo e o CBD não psicoativo. No entanto, essas duas não são as únicas substâncias ativas contidas no cânhamo que podem ter um efeito em nosso corpo. Existem doenças, bem como condições físicas desagradáveis, que o CBD sozinho não pode aliviar. Muitas vezes, apenas a interação com outros ingredientes extraídos da planta do cânhamo revela os efeitos curativos.

>>> A importância da Cannabis para a saúde e a economia brasileira é o tema de painéis promovidos pelo Sechat no dia 16

Em muitos estudos, foi comprovado que o CBD possui propriedades inibidoras da percepção da dor e efeito anti-inflamatório. A taxa de efeitos colaterais que podem ocorrer ao tomar medicamentos também é reduzida com o uso de CBD. De acordo com as últimas descobertas, todos esses efeitos também funcionam como resultado da interação do CBD com outras substâncias de cânhamo – especialistas falam do efeito de entourage. Devido aos inúmeros efeitos positivos do canabidiol, o número de produtos neste setor está em constante crescimento e os consumidores procuram testes confiáveis ​​de CBD. Porém, esses são difíceis de encontrar, devido à lei de publicidade farmacêutica.

A interação de canabinoides e terpenos

O efeito de entourage dos canabinoides inclui terpenos. Estes não são apenas um componente do cânhamo, mas de mais de 2.000 outras espécies de plantas – incluindo frutas. Os terpenos são a razão pela qual as plantas têm o cheiro que têm. No que diz respeito à flora, têm a tarefa de afastar os inimigos, produzindo um mau cheiro e atraindo polinizadores como as abelhas com cheiros que cheiram bem. Nós, humanos, percebemos os terpenos, por exemplo, quando mordemos uma manga suculenta e perfeitamente madura.

Os terpenos são extraídos das glândulas de resina da planta Cannabis. Eles estão lá na forma de óleos essenciais. Como os perfumes finos, os terpenos são obtidos por prensagem a quente ou a frio, por extração ou mesmo por destilação a vapor.

>>> Sechat traz medicina tradicional, qualidade de vida e tratamentos mais baratos para a pauta do Medical Talks Live

Tão diverso quanto os efeitos positivos do óleo CBD e outros produtos desse tipo no corpo, tão variados são os terpenos que até agora foram descobertos nas plantas de Cannabis – os números atuais são de cerca de 200 variedades diferentes. Embora os pesquisadores não esperem que muitos desses diferentes terpenos tenham um efeito relevante no corpo devido à sua pequena quantidade na planta do cânhamo, a interação entre eles produz uma sinergia mensurável e positiva ou efeitos de entorno.

Os pesquisadores explicam a interação entre canabinoides e terpenos pelo fato de que a mistura de substâncias inerente ao cânhamo produz maior bioatividade do que um ingrediente sozinho é capaz de fazer. Descobriu-se que a combinação harmoniosa de canabidiol e terpenos não só determina a eficácia real, mas também pode aumentar esses e outros efeitos. O efeito de ambiente garante que o CBD desencadeie os efeitos desejados, mesmo em doses muito pequenas.

Vantagens e desvantagens dos extratos de full spectrum

Conforme explicado acima, os terpenos, entre outras coisas, influenciam a eficácia do CBD – o mesmo se aplica naturalmente a outros canabinoides. Muitos fabricantes de produtos de cânhamo isolam o CBD e, consciente ou inconscientemente, negligenciam o efeito de entorno comprovadamente eficaz. Afinal, também deve ser dito de forma bastante clara: extratos de espectro total não são automaticamente “melhores”, mas simplesmente funcionam melhor em algumas áreas. Existem, entretanto, casos de aplicação em que CBDs isolados são usados ​​intencionalmente.

Nesse ínterim, no entanto, mais e mais produtores reconheceram que os extratos de espectro total costumam ser uma excelente escolha e estão trazendo-os para o mercado. Além dos componentes principais (especialmente o CBD), eles também contêm vários outros ingredientes ativos (canabinoides) encontrados na planta de Cannabis.

>>> O CBD puro é a parte mais medicinal da Cannabis?

A vantagem dos extratos de espectro total é que todos os efeitos positivos e “efeitos colaterais” latentes na planta de Cannabis podem agir no corpo. Mas também há uma desvantagem escondida nessa interação. Ingredientes ativos que foram estudados e vendidos isoladamente podem ser previamente calibrados com precisão quanto aos seus efeitos. Embora as pessoas frequentemente reajam de maneira diferente à mesma dose de CBD, a direção geralmente é a mesma. Se terpenos e outros canabinoides forem adicionados, outros efeitos podem ocorrer.

Estudos sobre o efeito entourage

Testes de laboratório para isolar princípios ativos são prática comum, principalmente no caso de produtos farmacêuticos. O objetivo é testar o ingrediente ativo com alto grau de pureza. Até alguns anos atrás, isso também era considerado um paradigma na pesquisa do canabidiol. A descoberta do efeito entourage, no entanto, também levou a uma mudança de paradigma de definição de tendências nos estudos e seus parâmetros.

Décadas atrás, alguns pesquisadores já trabalhavam com o efeito entourage. Em 1976, um estudo foi publicado por Dalton e outros que testaram os efeitos do THC e do CBD em altas doses em 15 indivíduos, administrando-os. Na época, 73 por cento dos participantes disseram que a sensação de estar doidão era muito forte quando tomavam THC quase puro. Embora a validade geral do estudo em um grupo de 15 pessoas ainda possa ser questionada, os resultados permitem a conclusão de que a interação do THC e do CBD por si só não causa a degeneração da sensação de euforia. Essa foi, em última análise, a primeira evidência do efeito entourage.

>>> Mais de 1 milhão de adultos no Reino Unido podem ter o cartão de Cannabis medicinal

Cinco anos depois, o efeito foi confirmado em um estudo feito pela equipe Fairbairn / Pickens. Em seu estudo [1] publicado em 1981, eles concluíram que o extrato total da planta do cânhamo influencia o efeito psicoativo do THC puro.

Muitos anos depois, mais precisamente em um estudo apresentado ao público em 2013, pacientes que consumiam maconha para fins medicinais foram examinados. O grupo pesquisado incluiu 953 pessoas. Uma das perguntas feitas foi se os pacientes prefeririam a maconha medicinal ou o fármaco Marinol. 98 por cento dos entrevistados preferiram maconha. Ao avaliar os resultados, um ponto é particularmente interessante – as pessoas preferiram usar a droga que participa positivamente do efeito de entourage em vez da droga que suprime esse efeito.

Fonte: informações do site The Cannabis Exchange

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese