O uso adulto de Cannabis pode ter um impacto negativo sobre a diabetes, conclui estudo

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Cannabis de uso adulto pode não ser boa para o diabetes, de acordo com uma revisão de estudos recentes que examinaram os efeitos da droga em pessoas que vivem com versões do tipo 1 ou 2 da doença.

A revisão, que foi encomendada pela Diabetes Canada, estreitou seu foco para seis estudos observacionais na tentativa de entender melhor a interação entre a Cannabis e a doença que impede as pessoas de produzirem insulina ou de usar adequadamente a insulina produzida. Os resultados não foram animadores.

>>> Como o CBD ajuda as pessoas com isquemia diabética

“O uso adulto de Cannabis pode impactar negativamente os fatores metabólicos do diabetes e os comportamentos de autogestão em pessoas com DM1”, observaram os pesquisadores. “Em pessoas com DM2, a Cannabis de uso adulto pode aumentar os riscos de oclusão arterial periférica, infarto do miocárdio e doença renal”, acrescentaram.

Cinco dos estudos examinados descobriram que o uso de Cannabis levou a relatos de hemoglobina glicada mais alta (HbA1c) com um achado em particular de que “o uso de Cannabis nos 12 meses anteriores foi associado a quase o dobro do risco de cetoacidose diabética em comparação com o não uso de Cannabis”. Outro estudo descobriu que os alunos que usam Cannabis com diabetes tipo 1 entre as idades de 17 e 25 anos relataram controle glicêmico mais pobre e hemoglobina glicada elevada.

Os achados preocupantes não se limitaram aos incidentes do tipo 1 da doença. “Os riscos de oclusão arterial periférica e infarto do miocárdio foram encontrados para ser mais elevados em pessoas com diabetes tipo 2 que consumiam Cannabis de uso adulto, e piores parâmetros renais também foram relatados em dois estudos separados de T1D e T2D.”

>>> Para Mechoulam, falta de estudos sobre canabidiol faz com que se percam muitas vidas

Como a revisão rápida foi limitada a apenas seis estudos “de qualidade metodológica baixa a razoável”, os pesquisadores recomendam que “pesquisas mais robustas e de maior qualidade” são necessárias para confirmar os resultados.

Os idosos com diagnóstico de diabetes estão aumentando nos Estados Unidos. De acordo com a American Diabetes Association, 14,3 milhões de idosos (26,8 por cento da população) têm diabetes (diagnosticado ou não). Em um relatório de 2017, os Centros para Controle e Prevenção de Doenças descobriram que mais de 100 milhões de pessoas nos Estados Unidos corriam risco de desenvolver diabetes.

Um em cada três canadenses vive atualmente com diabetes ou pré-diabetes, de acordo com a Diabetes Canada, que espera usar os resultados da revisão para informar recomendações para pessoas com mais de 13 anos que vivem com a doença.

Fontes: informações do site The Growth Op

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese