Projeto de lei de Nova Iorque pretende criar instituto de pesquisa psicodélica

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
A deputada Rosenthal também introduziu uma legislação de reforma em março que alteraria o estatuto do estado removendo a psilocibina e a psilocina da lista de substâncias controladas do estado (Foto: Reprodução/Marijuana Moment)

Curadoria e edição de Sechat Conteúdo, com informações de Marijuana Moment (Kyle Jaeger)

Um legislador de Nova Iorque apresentou um projeto de lei na terça-feira (1°) que exigiria que o estado estabelecesse um instituto para pesquisar o potencial terapêutico dos psicodélicos.

Em suma, a legislação, patrocinada pela deputada Linda Rosenthal (D), criaria um instituto de pesquisa sancionado pelo estado para explorar o potencial terapêutico de certos psicodélicos. Além disso, a legislação também exigiria que os reguladores emitissem recomendações sobre o valor médico de tais substâncias no tratamento de condições como a depressão e transtorno de estresse pós-traumático (PTSD).

>>> Siga o Sechat no INSTAGRAM

“Há evidências crescentes que sugerem que os psicodélicos podem ser uma ferramenta útil no tratamento de sintomas de depressão, ansiedade, transtorno de estresse pós-traumático. Além de ajudar os indivíduos a se recuperarem de um transtorno por uso de substâncias”, conforme afirma um memorando da deputada. “Os psicodélicos fornecem uma série de benefícios sem o mesmo risco de overdose ou dependência que outros medicamentos podem fornecer.”

O instituto de psicodélicos

O instituto, contratado pelo estado, seria mandatado para investigar o potencial médico de substâncias incluindo “ibogaína, LSD, psilocibina e outras drogas psicodélicas no tratamento da dependência para pessoas que lutam com um transtorno por uso de substâncias como, por exemplo, metanfetamina, opioides, e outras substâncias viciantes.”

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

Sobretudo, os pesquisadores seriam obrigados a coordenar os ensaios clínicos sobre o potencial terapêutico dessas substâncias. Além disso, teriam que desenvolver programas de treinamento para profissionais para conduzir a pesquisa e estabelecer um conselho consultivo para fornecer supervisão nos ensaios clínicos de compostos psicodélicos. 

A deputada Rosenthal também introduziu uma legislação de reforma em março. Ela alteraria o estatuto do estado removendo a psilocibina e a psilocina – dois dos principais ingredientes psicoativos – da lista de substâncias controladas do estado.

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

Sete cidades – Oakland, Santa Cruz, Ann Arbor, Washington DC, Somerville, Cambridge e Northampton – descriminalizaram a posse de uma coleção mais ampla de substâncias psicodélicas baseadas em plantas e fungos desde a mudança de Denver.

No Oregon, os eleitores aprovaram iniciativas históricas para legalizar a psilocibina para fins terapêuticos e descriminalizar as drogas de forma mais ampla em novembro. Essa ação foi referenciada na legislação de Nova York.

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

Confira outros conteúdos sobre os psicodélicos publicados pelo Sechat:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese