Entre o verde e o êxtase: cannabis e satisfação sexual

Uma investigação sobre os efeitos da cannabis no prazer íntimo

Publicada em 26/02/2024

capa
Compartilhe:

Um estudo pioneiro conduzido pelo Núcleo de Desenvolvimento Humano e Ciência da Família, da renomada Universidade Carolina do Leste (EUA), trouxe à luz descobertas intrigantes sobre a interseção entre cannabis e sexualidade. A pesquisa, intitulada "A Influência da Cannabis no Funcionamento e Satisfação Sexual", mergulhou fundo na experiência de mais de 800 participantes, abrangendo uma ampla faixa etária, de 18 a 85 anos.

Os resultados, revelados após meticulosa análise, apresentaram um quadro fascinante. Surpreendentemente, descobriu-se que a cannabis exerce um impacto notável no âmbito da intimidade, especialmente em relação ao desejo sexual. Em particular, as mulheres emergiram como protagonistas desse fenômeno, experimentando um aumento significativo no desejo carnal após o consumo da substância.

Entre os dados mais marcantes, destacou-se que aproximadamente 79% dos participantes afirmaram que a cannabis não interfere de maneira substancial em suas decisões sexuais, mas, paradoxalmente, contribui para um relaxamento notável durante o ato íntimo. Esse efeito relaxante pareceu ser um catalisador para uma experiência sexual mais satisfatória, elevando não apenas o prazer físico, mas também intensificando a conexão emocional entre os parceiros.

Ana Júlia Kiss, CEO e fundadora da Humora, empresa que produz e comercializa Canabidiol (CBD) isolado para condições como sono, imunidade, esporte, libido e TPM, explica que a diminuição da ansiedade, o relaxamento físico e a controle das dores que os derivados da cannabis proporcionam, são fundamentais para uma boa relação sexual.

_MG_3163.jpg
Ana Julia Kiss além de investidora-anjo de startups de impacto social e fundadoras mulheres, empreende no segmento da cannabis com ânimo, força e muito bom humor. (Foto: arquivo pessoal)

“Em tempos de amores líquidos, onde os relacionamentos começam muitas vezes pela internet, a diminuição da ansiedade é uma ótima ferramenta para controle das emoções. Além disso, muitas mulheres reclamam de dores durante o ato sexual, sendo a cannabis alternativa para o controle destes transtornos”, afirma Ana.  

Ela explica que devido as propriedades vasodilatadoras da cannabis, a região genital tanto do homem quanto da mulher, tende a ficar mais estimulada, aumentando assim o libido e as percepções sensoriais antes, durante e depois o sexo.  

A empresária lembra ainda, que alguns canabinoides possuem a capacidade de aumentar a produção de oxitocina, conhecido como hormônio do amor.

“Quando nosso organismo está em equilíbrio, seja pelo uso da cannabis ou por outros compostos, nossa mente entra em um estado de relaxamento, o que consequentemente se reflete em nosso corpo, deixando os sentidos mais aguçados e facilitando na hora do prazer. Isso tudo se dá pelo aumento da oxitocina, proteína responsável por influenciar a formação de casais, cuidados maternais e outros comportamentos positivos e amorosos”, conclui.  

Essas descobertas não apenas lançam luz sobre uma área pouco explorada da sexualidade humana, mas também levantam questões pertinentes sobre o papel da cannabis como facilitadora do prazer e da intimidade. No entanto, é importante observar que cada indivíduo responde de forma única a essa substância, e o seu uso deve ser cuidadosamente considerado, levando em conta os contextos pessoais e de relacionamento.