Nova-iorquinos querem legalização da cannabis com cultivo doméstico e delivery

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
A pesquisa da Consensus Strategies perguntou aos residentes de Nova Iorque sobre uma variedade de questões relacionadas à maconha, como igualdade social e licenciamento (Foto: Pexels)

Curadoria e edição de Sechat Conteúdo, com informações de Marijuana Moment (Kyle Jaeger )

A maioria dos nova-iorquinos quer que a cannabis seja legalizada para uso adulto, de acordo com uma nova pesquisa. Eles ainda manifestaram preferência pela entrega em domicílio, o cultivo para uso pessoal e o comércio de varejo e operações de cultivo em seus bairros.

A pesquisa da Consensus Strategies perguntou aos residentes de Nova Iorque sobre uma variedade de questões relacionadas à maconha. Elas incluíam aquelas relacionadas à igualdade social e licenciamento. Mostrou-se que as pessoas no estado estão prontas para uma mudança que se alinha em grande parte com as propostas que tramitam na legislatura.

O estudo descobriu, por exemplo, que 61% dos adultos de Nova Iorque apoiam a legalização da maconha para uso adulto. Mas também ofereceu insights únicos sobre os detalhes do que os residentes esperam ver de um mercado legal de maconha para uso medicinal.

>>> Siga o Sechat no INSTAGRAM

Número de pessoas que apoiam a instalação de negócios de cannabis em seus bairros chega a 56%

Segundo a pesquisa, 56% dos entrevistados disseram que estariam bem em ter negócios de maconha no varejo em seus bairros, enquanto 53% apoiam a permissão de instalações de cultivo perto de suas casas. Outros 53% disseram ser favoráveis ​​a permitir que as empresas de maconha entreguem produtos aos consumidores.

Uma pequena maioria (51%) disse que as pessoas das áreas mais afetadas pela guerra às drogas deveriam ter prioridade de licenciamento, e cerca de metade (50%) disse que as pessoas com condenações anteriores por vender maconha deveriam ser capazes de operar um negócio legal.

A maioria dos entrevistados disse que as jurisdições locais deveriam ter autoridade de autoexclusão, permitindo-lhes proibir as lojas de maconha de operar em suas áreas.

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

Em termos de cultivo doméstico, 52% disseram que os adultos deveriam ser capazes de cultivar um número limitado de plantas para uso pessoal. Isso é notável no contexto das negociações legislativas sobre medidas para legalizar a cannabis, já que o plano do governador Andrew Cuomo (D) omite uma opção de cultivo em casa, enquanto um projeto de lei patrocinado pelo líder da maioria da assembléia Crystal Peoples-Stokes (D) e pela presidente de finanças do Senado, Liz Krueger (D) permitiria o cultivo doméstico.

Regras de venda e o destino dos lucros

Cerca de três em cada quatro entrevistados disseram que vender maconha para pessoas de 18 a 21 anos deveria ser uma contravenção, em comparação com 22% que disseram que deveria ser considerado um crime.

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

Além disso, a pesquisa também perguntou sobre propostas para destinar uma parte dos dólares dos impostos da maconha para apoiar o reinvestimento da comunidade para aqueles desproporcionalmente prejudicados pela criminalização. 59% disseram concordar que parte da receita deve ser alocada para esse fim.

Mas nem todos que disseram apoiar a legalização da maconha visitariam um varejista legal, descobriu a pesquisa. Cerca de metade dos entrevistados (49%) disse que era “provável” ou “muito provável” ir a uma loja de cannabis pelo menos uma vez, e a outra metade disse que provavelmente não participaria do mercado.

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

Sobretudo, o apoio à legalização é mais forte no interior do estado, onde 67% apoiam a reforma.

Confira outros conteúdos sobre a cannabis nos Estados Unidos publicados pelo Sechat:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese