Cânhamo

Cânhamo pode substituir polietileno em embalagens

Por Redação Sechat

.

Cânhamo pode substituir polietileno em embalagens. Um estudo recente realizado por pesquisadores canadenses da Universidade Western (WU), em Londres, Ontário, sugere que a embalagem pode ser a principal aplicação inicial dos bioplásticos feitos de cânhamo, conforme informações do portal Hemp Today.

.

No estudo, os pesquisadores substituíram os grânulos de polietileno de alta densidade, utilizados no plástico convencional, por pó obtido a partir da moagem dos caules de cânhamo. O material foi diretamente incorporado ao processo de fabricação atualmente utilizado na produção de embalagens, sem a necessidade de tecnologia ou processos especiais adicionais.

.

De acordo com o estudo publicado no The Journal of Polymer Science, esse trabalho demonstra uma nova gama de biocompósitos que podem ser totalmente derivados de recursos renováveis e possuem um forte potencial de biodegradação no ambiente. Os testes realizados mostraram que, embora a resistência e a maleabilidade do material à base de cânhamo não atendam aos padrões dos plásticos convencionais, ele é mais resistente e maleável do que outros materiais à base de plantas, sendo de qualidade suficiente para diversas aplicações.

.

A professora de química da WU e autora do artigo, Elizabeth Gillies, explicou à emissora canadense CBC: “Quando se trata de embalagens, o plástico substitui materiais como metal e vidro, os quais são pesados e caros. Dependendo do formato, o cânhamo pode ter uma estrutura fibrosa, que funciona muito bem como reforço de materiais”.

.

Com os programas de reciclagem mostrando-se insuficientes para resolver o problema do lixo plástico, agravado pela crise global de poluição por microplásticos, os biocompósitos de cânhamo oferecem uma alternativa ecológica, conforme observado pelo jornal. Gillies, que também é presidente da WU no Canadá em biomateriais poliméricos e trabalha no departamento de engenharia química e bioquímica da universidade, afirmou: “A reciclagem de vidro não é muito lucrativa e, embora muitos plásticos sejam potencialmente recicláveis, isso nem sempre é viável na prática”.

.

Embora haja um crescente interesse e entusiasmo em torno do uso da fibra de cânhamo como matéria-prima para bioplásticos, é importante avaliar de forma realista o potencial de negócios. Gillies afirmou: “Atualmente, os biomateriais são mais caros de produzir do que os plásticos, mas as empresas estão trabalhando para otimizar e reduzir os preços. Espera-se que os custos diminuam nos próximos anos à medida que essas tecnologias melhorem”.

.

Os bioplásticos de cânhamo, assim como os materiais de construção ecológicos à base de cânhamo, provavelmente enfrentarão resistência por parte dos fabricantes de plásticos tradicionais, cujos produtos são derivados do petróleo. Isso significa que o investimento no setor de bioplásticos, ainda em estágio experimental, ocorrerá de forma lenta.

Compartilhe:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

    Mais lidas