Como o CBD pode ajudar a controlar os sintomas de Parkinson

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A aceitação é um componente essencial para viver uma vida serena com a doença de Parkinson, pois ainda não há cura. É a única maneira de evitar que esse transtorno consuma sua vida e acabe sofrendo de ansiedade e depressão. 

Os pesquisadores estão encontrando evidências encorajadoras de que o CBD é benéfico para aqueles que sofrem deste transtorno. Mas o mal de Parkinson não é o único problema de saúde que o CBD pode ser capaz de combater.

>>> Cannabis devolve direito de sonhar a paciente com Mal de Parkinson

Por meio de vários estudos, os pesquisadores estão descobrindo os benefícios de mudança de vida que o CBD tem sobre problemas de saúde mental e transtornos crônicos. Isso inclui diabetes, doenças cardíacas, PTSD, depressão pós-parto, menopausa, Alzheimer e muito mais. 

O CBD prova ser uma alternativa muito mais segura em relação à medicina tradicional, sem efeitos colaterais prejudiciais ou risco de ficar alto ou sobre dosagem. Com seu impacto no sistema endocanabinoide, os pesquisadores estão encontrando novas razões para promover o CBD como uma alternativa útil para o Parkinson.

O papel do CBD para a doença de Parkinson

Com o CBD se tornando legal nos Estados Unidos e em muitos países ao redor do mundo, encontrar produtos de alta qualidade nunca foi tão fácil. Hoje em dia, você pode encontrar de tudo – óleos orgânicos, gomas, géis e tudo o mais. 

>>> Pais conseguem o direito de importar sementes de maconha para o tratamento da filha

O CBD está se mostrando mais do que uma tendência. Se os pesquisadores continuarem encontrando resultados encorajadores, pode se tornar uma ferramenta poderosa para qualquer pessoa que esteja passando por problemas de saúde mental e distúrbios crônicos. Mas já que estamos falando sobre a doença de Parkinson, aqui estão as maneiras mais críticas de como o CBD pode ajudar com esse transtorno.

CBD e tremores

Atualmente, o tratamento administrado para esta doença faz com que as pessoas tenham tremores ou outros tipos de movimentos musculares descontrolados. Mas esses movimentos musculares podem ser facilitados com o CBD. 

>>> Família do RS busca ajuda para custear tratamento com canabidiol de filha caçula

Em um estudo conduzido em 1986, a melhora relacionada à dose na distonia foi observada em cinco pacientes e os pesquisadores observaram como 300 mg de CBD “exacerbou a hipocinesia e o tremor de repouso”. Em pesquisas mais recentes sobre tremores e ansiedade, voluntários com doença de Parkinson mostraram menos sintomas com 300 mg de CBD. 

CBD e Dor

O CBD também provou ser uma ferramenta útil para o controle da dor, graças aos seus efeitos sobre os receptores designados para o controle da dor. Existem vários estudos sobre como o CBD pode tratar o controle da dor. 

>>> Como a Cannabis medicinal pode ajudar no tratamento da dor aguda?

Em um artigo, publicado no European Journal of Pain, os pesquisadores observaram como ratos que sofrem de artrite experimentaram uma diminuição na inflamação. Em outra pesquisa de dor relacionada à esclerose múltipla, eles viram como o óleo CBD reduziu o número de espasmos e dor.

CBD e psicose

Além dos sintomas motores, aqueles com doença de Parkinson podem apresentar sintomas não motores, como psicose. Este último leva a pessoa a ter delírios e alucinações. O CBD também pode ajudar a aliviar esse sintoma não motor. Em um estudo, os pesquisadores encontraram evidências que mostram como o CBD pode alterar potencialmente a atividade cerebral.

>>> Estudo explica a relação entre canabidiol, esquizofrenia e outras psicoses

O artigo, publicado na Psychological Medicine, mostra que quando as pessoas com psicose receberam uma dose de CBD, as áreas pré-frontal e temporal medial do cérebro eram mais semelhantes àquelas sem psicose.

CBD e sono

Os distúrbios do sono são comuns com a doença de Parkinson, e o CBD pode proporcionar um melhor descanso noturno. Este composto natural tem um efeito duplo. 

>>> Como o canabidiol pode ajudar na qualidade do sono e melhorar os casos de insônia

Doses baixas podem funcionar como estimulantes, tornando-se uma excelente ferramenta para um dia agitado. Também pode funcionar à noite. Doses altas podem fazer a pessoa se sentir sonolenta, tornando mais fácil adormecer. Em uma pesquisa de 2014 com quatro pacientes com Parkinson, os pesquisadores observaram que o CBD ajudou a aliviar os sintomas relacionados ao distúrbio do comportamento do sono REM. Este último é um distúrbio associado a sonhos ruins e movimentos durante o sono. 

O CBD pode fazer mais 

Além desses quatro sintomas comuns causados ​​pela doença de Parkinson, o CBD também pode aliviar outros sintomas causados ​​direta ou indiretamente pelo diagnóstico. Principalmente, o CBD pode ajudar a aliviar a ansiedade. Pode ajudar uma pessoa a se sentir mais serena e à vontade. Por sua vez, isso pode levar a menos risco de ataques de pânico ou depressão.

Antes de tomar CBD

Embora o CBD não tenha efeitos colaterais prejudiciais, você deve consultar seu médico antes de usá-lo, especialmente se você já estiver tomando outros medicamentos para tratar o distúrbio. 

Fonte: informações do site The Leaf Online

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese