DTM: Tratamento com cannabis tem resultados rápidos

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
dtm-disfuncao-temporomandibular
A placa é uma das formas de diminuir as consequências da DTM (Créditos: Pexels - Cedric Fauntleroy)

Por Jacqueline Passos

Apesar do nome incomum, a DTM ou Disfunção Temporomandibular é mais comum do que se imagina e, inclusive, é mais um distúrbio que vem sendo tratado com cannabis por dentistas. Quem nunca sentiu o maxilar estalando, a mandíbula travando ou ouviu algum conhecido sofrendo desse mal? Quando esse quadro começa a se repetir com frequência e ainda ocasiona dores é provável que o diagnóstico seja DTM. 

A cannabis medicinal foi o motivo do rápido resultado no tratamento

Foi por conta da DTM que a Dra. Cynthia De Carlo, cirurgiã-dentista, teve a sua primeira experiência prescrevendo cannabis. A paciente de 79 anos de idade reunia alguns comportamentos que geram ansiedade, fobia, falta de relaxamento muscular, entre outros. Após o diagnóstico de DTM, a dentista iniciou o tratamento com cannabis e a rapidez nos resultados positivos surpreenderam a dentista. “No terceiro ou quarto dia de uso da cannabis (medicinal), ela deixou de usar a placa para bruxismo”, conta. 

No decorrer do tratamento convencional da paciente, que ocorre há mais de quatro anos, já haviam sido substituídas várias placas de silicone e acrílico que acabavam desgastadas ou até com furos, tal era a pressão exercida pela mandíbula. E a dor, continuava. Mesmo com esse quadro, a paciente não fazia uso de opióides. Contudo, quando o ranger dos dentes se tornava muito intenso, ela recorria a anti-inflamatórios. “O apertamento (dos dentes) era tão forte que chegava a estourar a raiz e ocorrer quebra dentária”, lembra. 

Cynthia conta que quando mencionou para a paciente a possibilidade de experimentar o uso medicinal da Cannabis, não sabia ao certo como seria a sua  reação. Isso porque, além da desinformação que envolve o tema, há o aspecto financeiro para bancar a medicação por tratar-se de um produto relativamente caro.

cynthia-de-carlo-dentista-prescritora-de-cannabis

“Ela topou na hora fazer a experiência pois já havia lido sobre o assunto. Aquela coisa (que se espalha) de vizinha para vizinha. Ela disse que conhecia uma pessoa que havia trazido (o medicamento do) Chile para tratar dor de coluna.”

Dra. Cynthia De Carlo

Sobre o tratamento

O tratamento está sendo feito à base de um óleo full spectrum da marca Carmen’s Medicinals com 1500 mg/ml, com 1:1 de CDB e THC. O custo médio mensal da medicação, incluindo as despesas de transporte, fica abaixo de R$ 500. “O mais legal é perceber essa evolução em uma paciente que usou placa, estourou raiz (do dente) e três dias após o início do tratamento diz estar acordando mais disposta e se sentindo bem. 

Ela avalia que é compensador o custo benefício que o tratamento de Cannabis apresenta pelo fato de se tratar de uma terapia que soluciona o problema. “(Alguns deles) são pacientes que fizeram uso constante de placa, chegaram a estourar a placa, a situação era resolvida por um período e depois o problema voltava. São casos de reincidência, e chega um momento que o paciente acaba cansando porque ele já teve que fazer inúmeras placas e, então, passa a refletir sobre o custo que ele está arcando. Porque nada é barato na Odontologia.” 

Muitos dos casos tratados nos consultórios de odontologia têm agravantes externos 

Segundo a dentista, cerca de 80% da população sofre com o chamado bruxismo em vigilância, que, muitas vezes, não é percebido pelas pessoas e é muito mais grave do que o bruxismo do sono. Esse distúrbio ocorre, por exemplo, quando a pessoa morde uma caneta enquanto conversa ou quando há outro comportamento semelhante. 

Aproximadamente 50% dos pacientes atendidos por Cynthia, apresentam problemas relacionados à nervosismo, ansiedade e dor. O êxito do primeiro tratamento à base de Cannabis medicinal, fez com que ela continuasse prescrevendo a substância, uma vez que muitos pacientes apresentam fobia ao tratamento convencional, passam mal nas sessões, entre outros agravantes. “Alguns (pacientes) chegam a suar frio (durante a consulta)”, conta. Hoje, a cirurgiã-dentista já prescreve a cannabis medicinal há 2 anos para pacientes que apresentam bruxismo, DTM, além de outros males relacionados à dor crônica. 

DTM é assunto da próxima Live Sechat

Na próxima terça-feira (14), a convidada da Live Sechat é a cirurgiã-dentista prescritora de cannabis Cynthia De Carlo, que também faz parte do quadro do CECMEDIC (Centro de Excelência Canabinoide) e é membro SBEC (Sociedade Brasileira de Estudos da Cannabis). Além da DTM, outros assuntos relacionados a odontologia e a cannabis serão abordados. Não perca! O bate-papo acontece no perfil do @sechat_oficial no Instagram às 19h. 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese