Estudo mostra que as pessoas estão substituindo medicamentos para dormir por cannabis

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
“Nossos resultados são consistentes com a evidência de que o acesso legal à cannabis medicinal está associado a reduções nos medicamentos prescritos", escreveram os autores do artigo (Foto: Marcus Aurelius/Pexels)

A comunidade científica ainda não possui certeza se a cannabis pode ou não ajudar a tratar distúrbios do sono, como a insônia. Ainda assim, o estudo indicou que a substituição dos soníferos por cannabis está acontecendo.

>>> Senadora Mara Gabrilli quer discussão científica e sem ideologias no PL da Cannabis

“Nossos resultados mostram que o crescimento da participação no mercado de soníferos diminuiu com a entrada de dispensários recreativos de cannabis em mais de 200% em relação ao crescimento médio da participação de mercado em nossa amostra, e a força da associação aumentou a cada dispensário subsequente”, o artigo, publicado na edição de dezembro de 2019 da Complementary Therapies in Medicine, conclui. “Em particular, a cannabis parece competir favoravelmente com soníferos OTC, especialmente aqueles contendo difenidramina e doxilamina, que constituem 87,4% do mercado de sonífero.”

Pesquisadores da University of New Mexico e da California State Polytechnic University usaram dados de varredura de varejo coletados pela Nielsen Company para ajudá-los a entender como o acesso ao uso adulto da cannabis afetava as vendas de medicamentos para dormir OTC comprados em lojas locais no Colorado. “Os dispensários recreativos de cannabis aumentam muito o número de indivíduos capazes de tratar legalmente os distúrbios do sono usando cannabis, particularmente aqueles com distúrbios do sono leves a moderados”, constataram.

>>> Para o juiz Fabrício Dias, HC não é o melhor instrumento para o direito ao cultivo de Cannabis medicinal

Em sua análise, eles estudaram a participação no mercado de soníferos em geral – incluindo suplementos como melatonina e produtos farmacêuticos como difenidramina – em 587 lojas. Eles também usaram dados mensais do Departamento de Receitas do Colorado para comparar o número de dispensários recreativos em cada condado, bem como os números das vendas locais de cannabis no varejo. “A associação negativa entre o acesso à cannabis e as vendas de medicamentos para dormir sugere uma preferência do consumidor pela cannabis”, diz o documento.

Tornou-se legal para os residentes do Colorado comprar cannabis para uso adulto em 1º de janeiro de 2014, e o período de estudo cobriu dezembro de 2013 a dezembro de 2014.

>>> Estudo revela que quase metade dos pacientes com Esclerose Múltipla usam Cannabis medicinal

De acordo com os resultados, a participação no mercado de soníferos não estava aumentando nem diminuindo antes da abertura de um dispensário no mesmo condado. Depois que surgiu o primeiro, no entanto, a participação de mercado diminuiu a cada mês de sua existência. Um modelo de regressão mostrou que o crescimento da participação no mercado de medicamentos para dormir diminuiu 236% depois que um dispensário entrou no mercado, e essa associação negativa aumentou conforme o número de dispensários cresceu.

“A magnitude do declínio da participação de mercado aumenta à medida que mais dispensários entram em um condado e com maiores vendas de cannabis”, escrevem os autores do estudo. “Pela primeira vez, mostramos uma associação negativa significativa entre o acesso ao uso adulto da cannabis e as vendas de medicamentos OTC para dormir, sugerindo que pelo menos alguns compradores estão usando cannabis para fins terapêuticos em vez de recreativos.”

>>> CBD reduz dano pulmonar causado pela COVID-19

“Além disso, apesar da falta de evidências clínicas diretas sobre a eficácia da cannabis autogerida como um auxílio para dormir, nossos resultados indicam que um número suficiente de indivíduos está mudando de soníferos OTC para cannabis de uso adulto. Identificamos também uma redução significativa da participação do mercado de soníferos OTC em conjunto com o acesso à cannabis de uso adulto, usando uma variável de tratamento conservadora no nível do condado e um projeto de pesquisa quase experimental”, concluiu o artigo.

“Nossos resultados são consistentes com a evidência de que o acesso legal à cannabis medicinal está associado a reduções nos medicamentos prescritos II-V programados (por exemplo, opioides e sedativos), muitos dos quais podem ser usados ​​em parte como soníferos”, escreveram os autores. “Essas descobertas apoiam as evidências da pesquisa de que muitos indivíduos usam cannabis para tratar a insônia, embora os distúrbios do sono não sejam uma condição de qualificação específica sob qualquer lei estadual de cannabis médica dos EUA.”

>>> O que o CBD pode fazer pelos pais durante o estresse da quarentena

A autora do estudo, Sarah Stith, uma microeconomista aplicada da Universidade do Novo México, explicou em um comunicado que de uma perspectiva de saúde pública, o possível uso generalizado de cannabis para condições médicas menos graves tanto destaca seu potencial terapêutico quanto levanta preocupações quanto aos riscos e benefícios compensatórios de substituir uma substância associada ao abuso e dependência por medicamentos OTC relativamente ineficazes com níveis tipicamente baixos de potencial de abuso.

“De uma perspectiva econômica ou de negócios, independentemente do mecanismo subjacente, nossa documentação de mudanças nos comportamentos de compra tem implicações para os mercados multimilionários dos EUA com soníferos OTC,” disse ela. “É importante que a comunidade médica reconheça que a falta de orientação médica não leva necessariamente à falta de uso médico. Os dispensários e os fóruns on-line estão surgindo para preencher o vácuo de informações, à medida que os indivíduos são forçados a fazer o tratamento por conta própria.”

Fonte: Kimberly Lawson/Marijuana Moment

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese