Mudança nas regras do CBD pode levar mercado francês da cannabis a 1 bilhão de euros

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
O relatório orientará os legisladores franceses na reformulação da legislação nacional sobre o cânhamo este ano (Foto: Pixabay)

Curadoria e edição de Sechat Conteúdo, com informações de Hemp Today

Mudanças radicais nas regras restritivas da França que regem a CDB podem trazer um boom para o setor nos próximos anos, disse um grupo francês de interessados ​​após a divulgação de um relatório sobre a situação do Parlamento.

Embora o mercado francês de CBD atualmente tenha o valor estimado entre 150 e 200 milhões de euros, mudanças regulatórias esclarecidas podem levar a um mercado de 1 bilhão de euros em 2023. Estes números foram estimados pelo sindicato francês Syndicat Professionnel du Chanvre (SPC).

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

“Este trabalho mostrou que o desenvolvimento deste setor na França é dificultado por fortes incertezas jurídicas e uma certa relutância por parte das autoridades públicas, tanto nacionais quanto europeias”, diz o relatório “Status of ‘Wellness’ Hemp”. “A missão de apuração considera que esta relutância, que reside principalmente no medo desproporcional do uso indevido de uma molécula extraída da flor do cânhamo, impede desnecessariamente o crescimento de um mercado onde a França tem potencial para adquirir uma posição dominante.”

A direção certa

Sobretudo, o relatório orientará os legisladores franceses na reformulação da legislação nacional sobre o cânhamo este ano. Parte de uma investigação governamental mais ampla sobre as aplicações do cânhamo industrial, o estudo atraiu, acima de tudo, contribuições de governos locais, federações da indústria, cientistas, representantes da Comissão Europeia, advogados, acadêmicos e partes interessadas em negócios de cânhamo.

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

“Este relatório parlamentar está indo na direção certa”, conforme disse o presidente do SPC, Aurélien Delecroix, ao Le Figaro quando o relatório foi divulgado. “A França, que estava em uma situação particularmente prejudicial, poderá se firmar neste novo setor e tentar compensar os atrasos que sofreu até agora”, disse Delecroix.

Entretanto, a SPC alega que as atuais regras rígidas do cânhamo da França que proíbem o uso de flores e folhas da planta colocaram o país atrás de mercados como Grã-Bretanha, Estados Unidos e Suíça.

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

Mas apesar das restrições rígidas, as lojas que vendem CBD em produtos alimentícios, óleos, cosméticos, cigarros eletrônicos e flores se multiplicaram rapidamente. A França tem quase 400 desses varejistas, quase quatro vezes mais do que há dois anos, de acordo com a SPC.

Adaptando-se às mudanças da UE

O relatório parlamentar na França vem depois que a Comissão Europeia decidiu no ano passado que o CBD não é uma droga. Essa ação veio na sequência de um acórdão em que o Tribunal de Justiça da União Europeia (TJCE) decidiu que o CBD não pode ser considerado narcótico e que os produtos de CBD devem gozar da mesma livre circulação de mercadorias entre os Estados-Membros que outros produtos legais. O caso do TJCE surgiu de uma apelação de dois empresários que foram presos por vender produtos de vapor CBD feitos na República Tcheca no mercado francês.

Sobretudo, a decisão do TJCE faz com que os Estados membros da UE revisem suas leis e regulamentos, que deverão estar em conformidade com as políticas da Comissão Europeia à medida que forem institucionalizados.

>> Sechat confirma para 2021 o maior evento sobre Cannabis Medicinal no Brasil

Vigilância

Na proposta central apresentada no relatório francês, os autores recomendaram, principalmente, “a autorização do cultivo, importação, exportação e uso de todas as partes da planta do cânhamo para fins industriais e comerciais, incluindo a flor.”

Além disso, o relatório também sugere aumentar o nível de THC para o cânhamo na colheita para entre 0,6% e 1,0%, uma proposta que iria empurrar além do nível de THC de 0,3% que a Comissão Europeia propôs recentemente para substituir a barreira atual de 0,2%. Ainda assim, a mudança para 0,3% de THC na Europa deverá entrar em vigor no início de 2023.

Confira outros conteúdos sobre o mercado europeu da cannabis publicados pelo Sechat:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese