Canabidiol melhora sintomas do Alzheimer

Tratamento desacelera a progressão da doença ao reduzir a inflamação no cérebro

Publicada em 22/02/2024

capa
Compartilhe:

Por Maria Emília Silveira via P+G Comunicação

A campanha Fevereiro Roxo, promovida pelo Ministério da Saúde, é voltada para a conscientização e tratamento do Lúpus, Alzheimer e Fibromialgia. Estima-se que aproximadamente 1 milhão de brasileiros sofrem de demência, a maioria decorrentes da doença de Alzheimer, enfermidade sem cura, mas que apresenta melhoras significativas nos sintomas com o uso do Canabidiol (CBD), substância presente na flor da cannabis sativa, a planta da maconha.  

A Doença de Alzheimer (DA) é um transtorno neurodegenerativo progressivo e fatal ocasionado pela deterioração cognitiva e da memória, comprometimento progressivo das atividades de vida diária e sintomas neuropsiquiátricos e de alterações comportamentais. A causa ainda é desconhecida, mas especialistas acreditam ser de origem genética.  

Alterações na memória, na personalidade, dificuldade de fala e para realizar tarefas simples são alguns dos sintomas iniciais. Nos estágios mais avançados pode ocorrer incontinência urinária e fecal, deficiência motora e infecções, com a expectativa de vida nos pacientes oscilando entre oito e 10 anos.  

O tratamento com Canabidiol em pacientes com Alzheimer desacelera a progressão da doença ao reduzir a inflamação no cérebro, mantendo a função cognitiva por mais tempo. “O produto (derivado da Cannabis sativa) protege os neurônios contra danos, ajudando a preservar a memória e a capacidade de realizar atividades diárias”, diz o médico Daumiro Tanure, coordenador do Pronto Atendimento Espaço Saúde da Santa Casa de Curitiba, membro da SBEC - Sociedade Brasileira do Estudo da Cannabis Sativa e médico do Centro de Acolhimento em Terapia Canabinoide – Anna.  

“O Canabidiol diminui as placas amiloides, o que pode retardar o declínio cognitivo, mantendo melhor a comunicação entre os neurônios. Além disso, ajuda a gerenciar a agitação e problemas de sono, melhorando o bem-estar do paciente e reduzindo a carga sobre os cuidadores”, explica.  

DR-Daumiro-Tanure (1).jpg

O Canabidiol também tem propriedades antioxidantes, o que combate o estresse oxidativo, protegendo as células cerebrais e potencialmente retardando a progressão da doença.  

“Da mesma forma, produz melhora cognitiva, embora preliminarmente, mas há indicações de que o Canabidiol melhora funções como memória e atenção, contribuindo para uma vida mais autônoma e satisfatória”, complementa o especialista.