Reino Unido lança serviço de dermatologia médica com Cannabis para problemas de pele

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
A cannabis medicinal pode ajudar a tratar doenças de pele como coceira e psoríase (Foto: Aleksej Sarifulin/iStock)

Pacientes com doenças de pele como coceira ou psoríase podem agora buscar uma segunda opinião sobre a Cannabis medicinal quando as terapias convencionais não alcançarem o benefício e o alívio dos sintomas adequados. O tratamento para condições dermatológicas pode consistir em terapias tópicas ou sistêmicas.

>>> Senadora Mara Gabrilli quer discussão científica e sem ideologias no PL da Cannabis

“Estamos muito animados com a parceria com dermatologistas líderes para lançar este serviço”, disse o diretor médico da Sapphire, Michael Platt. “Temos orgulho do tratamento individualizado do paciente realizado de maneira segura e eficaz e com resultados de tratamento rigorosamente monitorados.”

Cannabis medicinal para doenças da pele

Como a primeira clínica médica de cannabis a ser registrada na Comissão de Qualidade de Cuidados (CQC), a Sapphire Medical Clinics tem tratado pacientes com medicamentos à base de cannabis para todas as condições em que há evidências clínica de eficácia. A clínica cuida de condições dermatológicas selecionadas, especificamente aquelas que não respondem ou responderam inadequadamente às terapias médicas convencionais e condições raras.

>>> Para o juiz Fabrício Dias, HC não é o melhor instrumento para o direito ao cultivo de Cannabis medicinal

Algumas das doenças de pele cobertas pelo serviço são lúpus eritematoso discoide, prurido generalizado, prúrigo nodular, líquen simplex, disestesia genital, psoríase genital, líquen planopilar, alopecia cicatricial (alopecia cicatricial), hidradenite supurativa, doenças eritematóticas raras tais como mastocitose cutânea (Urticaria Pigmentosa), doença darier, pênfigo familiar benigno (doença de Hailey-Hailey), atrofoderma de pasini e pierini e adipsose dolorosa (doença de Dercum).

>>> Estudo revela que quase metade dos pacientes com Esclerose Múltipla usam Cannabis medicinal

A dermatologista Anastasia Therianou, cuja prática do NHS (National Health Service – o sistema de saúde público britânico) é baseada no Imperial College Healthcare NHS Trust, disse estar muito contente por ingressar na Sapphire Medical Clinics e agora oferecer com segurança aos pacientes a opção adicional de medicamentos à base de cannabis quando eles não receberam o tratamento eficaz das terapias rotineiramente disponíveis. “A plataforma Sapphire Real-World Evidence nos permite apoiar a prática clínica crescente com coleta de dados robusta, que é de vital importância para a comunidade clínica e os pacientes”, disse.

>>> CBD reduz dano pulmonar causado pela COVID-19

Shane Pearce, um paciente de 46 anos, comentou: “Estou satisfeito que os pacientes que sofrem de problemas de pele difíceis de tratar, como o meu, agora têm uma opção adicional de cannabis medicinal quando as terapias padrão não têm sido eficazes. Eu tentei vários bálsamos e cremes naturais, mas nada funcionou, então, agradeço a oportunidade de considerar esta opção de tratamento.”

Fonte: Health Europa

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese