A Cannabis no controle da fibromialgia

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Para Ferreira, o poder das redes sociais é crucial para que seja disseminado, entre os próprios pacientes, os benefícios da cannabis para uma série de doenças e condições (Foto: Arquivo pessoal)

Coluna de Ricardo Ferreira*

Para mim a fibromialgia é uma das doenças mais menosprezadas e negligenciadas da medicina. Até hoje não é raro encontrar médicos que duvidem da existência desta doença. Muitos alegam que a fibromialgia não é uma doença e sim a manifestação dolorosa de uma alteração psíquica, ou seja, afirmam que ela é um sintoma e não uma patologia.

Não dando bola se os médicos que acreditam ou não nela, a danada da fibromialgia continua por aí causando enorme sofrimento e limitações em muitas pessoas que a carregam.

Os que duvidam da sua existência alegam que não existem alterações físicas ou metabólicas que justifiquem este diagnóstico. Entretanto, será que estas alterações realmente não existem ,ou a culpa está no nosso atual conhecimento científico que ainda não foi capaz de encontrar sua causa?

Apesar de ninguém ter batido o martelo sobre a causa da fibromialgia, algumas alterações já foram documentadas em estudos científicos. Dentre as principais podemos destacar: Deficiências hormonais de GH (hormônio do crescimento) e IGF-1 (fator de crescimento semelhante à insulina), aumento da sensibilidade da região posterior da medula, diminuição de suprimento sanguíneo no tálamo, aumento da produção e liberação de neurotransmissores responsáveis pela condução dos impulsos neurológicos dolorosos.

Após o recente descobrimento do sistema endocanabinoide e seu mecanismo de ação no controle e ajuste de diversas funções no organismo, uma nova teoria relacionando a deficiência numérica ou qualitativa destes endocanabinoides (neurotransmissores produzidos pelo corpo humano quimicamente parecidos com os componentes presentes na planta cannabis) passou a entrar em cena como uma razoável explicação de causa dos sintomas da fibromialgia. E esta deficiência pode estar por trás de todas as alterações metabólicas listadas no parágrafo anterior e mais algumas coisas.   

Os sintomas da fibromialgia são variáveis em quantidade e intensidade. Podemos dizer que o principal sintoma dela é dor em todas, ou pelo menos na maioria das cadeias musculares

Os sintomas da fibromialgia são variáveis em quantidade e intensidade. Podemos dizer que o principal sintoma dela é dor em todas, ou pelo menos na maioria das cadeias musculares. Esta dor tem como característica ser tremendamente agravada a compressão leve; aquela tão leve que não deveria causar dor em ninguém.

Além da dor, uma grande variedade de sintomas já foram relacionados com a fibromialgia, sendo os mais frequentes: fadiga, depressão, ansiedade, tristeza, alterações no padrão de sono, dor de cabeça, ganho de peso, diminuição da libido, disfunções intestinais e urinárias.

Seus sintomas costumam aparecer em pessoas entre 30 e 50 anos, e sua frequência é muito maior em mulheres, bem próximo de ser definida como uma doença exclusivamente feminina. Após uma rápida progressão estes sintomas entram em um plateau de intensidade levando quem tem esta doença a acreditar que este é seu novo normal por toda a vida.

Atualmente a fibromialgia é um diagnóstico de exclusão, ou seja, uma pessoa que apresente estes sintomas só deverá receber o diagnóstico de fibromialgia uma vez que outras possíveis causas sejam devidamente investigadas e descartadas.

Apesar da inexistência de medicamentos específicos para fibromialgia muitas pacientes observam alguma melhora dos seus sintomas com a utilização de medicamentos tradicionalmente prescritos para dores crônicas. Entram nesta lista antidepressivos, analgésicos, relaxantes musculares e gabapentinoides. Entretanto, uma parcela considerável das portadoras de fibromialgia não consegue perceber benefícios com estes medicamentos. Além disso, muitas não toleram seus efeitos colaterais e são obrigadas a descontinuar, apesar de alguma melhora dos sintomas.

Com a entrada dos derivados da cannabis na nossa prática médica, uma nova esperança apareceu para estas pacientes. Percebemos ser cada vez maior o número de pessoas com fibromialgia que estão utilizando e obtendo sucesso com canabinoides.

Com a popularização das redes sociais estas pessoas têm feito relatos sobre os efeitos benéficos da planta em suas vidas.

Com a popularização das redes sociais estas pessoas têm feito relatos sobre os efeitos benéficos da planta em suas vidas. Nestas postagens elas não apenas falam sobre a redução da dor, mas também exaltam aumento da capacidade para realização de atividades cotidianas em função da minimização dos outros sintomas relacionados com a fibromialgia.

Estas postagens são como uma bola de neve: motivam mais e mais portadores de fibromialgia e outras dores crônicas a procurarem acesso à cannabis como meio de acabar com seu sofrimento. Os médicos já estão percebendo esta nova demanda nos seus consultórios.

Este sucesso e aumento de demanda tem fundamentação científica. Artigos publicados nos últimos anos em revistas médicas internacionais tradicionais como o JCR (Journal of Clinical Rheumatology) trazem estudos que mostram efeitos positivos para a maioria das pacientes diagnosticadas com fibromialgia, além de leves e poucos frequentes efeitos colaterais.

A elevada taxa de sucesso no controle dos sintomas da fibromialgia após a utilização de canabinoides (THC, CBD e outros) reforça a teoria que esta doença ocorre em função da deficiência de canabinoides produzidos pelo corpo humano (anandamida e 2-AG). Os canabinoides da planta atuam simulando a ação dos canabinoides humanos, e diminuindo a ação da enzima que os consome (FAAH).

Na prática o que vemos é isso, aquelas que em um passado recente eram consideradas as pacientes mais difíceis e com maior probabilidade de decepção com tratamento, agora se transformaram nas nossas clientes com maior chance de sucesso, alegrias e mudança de rumo na vida.  

*Ricardo Ferreira é médico especialista no tratamento de doenças da coluna vertebral e controle da dor e colunista do Sechat.

As opiniões veiculadas nesse artigo são pessoais e não correspondem, necessariamente, à posição do Sechat.

Veja outros artigos de nossos colunistas: 

Alex Lucena 

– Inovação e empreendedorismo na indústria da Cannabis (19/11/2020)

– Inovar é preciso, mesmo no novo setor da Cannabis (17/12/20)

 Sem colaboração, a inovação não caminha (11/02/2021)

Bruno Pegoraro

– A “legalização silenciosa” da Cannabis medicinal no Brasil (31/03/2021)

Por mais projetos de lei de Cannabis Medicinal (17/05/2021)

Fabricio Pamplona

– Os efeitos do THC no tratamento de dores crônicas (26/01/2021)

 Qual a dosagem ideal de canabidiol? (23/02/2021)

– CBD: batendo na porta da psiquiatria (05/04/2021)

– Está comprovado: terpenos e canabinoides interagem diretamente com mecanismo canabinoide (27/04/2021)

Fernando Paternostro

– As multifacetas que criamos, o legado que deixamos (11/3/2021)

– Vantagem competitiva, seleção natural e dog years (08/04/2021)

– Comunidade, maturidade, elasticidade: o ecossistema canábico em plena expansão (06/05/2021)

Jackeline Barbosa

 Cannabis, essa officinalis (01/03/2021)

– A Cannabis feminina (03/05/2021)

Ladislau Porto

– O caminho da cannabis no país (17/02/2021)

– Associações x regulação x Anvisa x cannabis (26/04/2021)

Luciano Ducci

– Vão Legalizar a Maconha? (12/04/2021)

Mara Gabrilli

– A luta pela Cannabis medicinal em tempos de cloroquina (23/04/2021)

Marcelo de Vita Grecco

– Cânhamo é revolução verde para o campo e indústria (29/10/2020)

– Cânhamo pode proporcionar momento histórico para o agronegócio brasileiro (26/11/2020)

– Brasil precisa pensar como um país de ação, mas agir como um país que pensa (10/12/2020)

– Por que o mercado da cannabis faz brilhar os olhos dos investidores? (24/12/2020)

– Construção de um futuro melhor a partir do cânhamo começa agora (07/01/2021)

– Além do uso medicinal, cânhamo é porta de inovação para a indústria de bens de consumo (20/01/2021)

 Cannabis também é uma questão de bem-estar (04/02/2021)

– Que tal CBD para dar um up nos cuidados pessoais e nos negócios? (04/03/2021)

– Arriba, México! Regulamentação da Cannabis tem tudo para transformar o país (18/03/2021)

– O verdadeiro carro eco-friendly (01/04/2021)

– Os caminhos para o mercado da cannabis no Brasil (15/04/2021)

– Benchmark da cannabis às avessas para o Brasil (29/04/2021)

– Registros e patentes “made in Brazil” (13/05/2021)

Maria Ribeiro da Luz

– Em busca do novo (23/03/2021)

– A tecnologia do invisível (20/04/2021)

– A pegada do cânhamo (18/05/21)

Patrícia Villela Marino

– Nova York, cannabis, racismo e prisão (28/04/2021)

Paulo Jordão

– O papel dos aparelhos portáteis de mensuração de canabinoides (08/12/2020)

– A fórmula mágica dos fertilizantes e a produção de canabinoides (05/01/2021)

– Quanto consumimos de Cannabis no Brasil? (02/02/2021)

 O CannaBioPólen como bioindicador de boas práticas de cultivo (02/03/2021)

– Mercantilismo Português: A Origem da Manga Rosa (06/04/2021)

– O cânhamo industrial, as barreiras comerciais e o substitutivo do PL 399/2015 (04/05/2021)

Pedro Pierro

– Qual nome devemos usar? (05/05/2021)

Pedro Sabaciauskis

– O papel fundamental das associações na regulação da “jabuticannábica” brasileira (03/02/2021)

 Por que a Anvisa quer parar as associações? (03/03/2021)

– Como comer a jabuticannabica brasileira? (13/04/2021)

– 21 de abril nasce a Fact; e nasce berrando (14/05/2021)

Ricardo Ferreira

– Da frustração à motivação (03/12/2020)

– Angels to some, demons to others (31/12/2020)

 Efeitos secundários da cannabis: ônus ou bônus? – (28/01/2021)

 Como fazer seu extrato render o máximo, com menor gasto no tratamento (25/02/2021)

– Por que os produtos à base de Cannabis são tão caros? (25/03/2021)

– A Cannabis no controle da dor e outras consequências do câncer (22/04/2021)

Rodolfo Rosato

– O Futuro, a reconexão com o passado e como as novas tecnologias validam o conhecimento ancestral (10/02/2021)

– A Grande mentira e o novo jogador (10/3/2021)

– Mister Mxyzptlk e a Crise das Terras Infinitas (14/04/2021)

– O prejuízo da proibição (12/05/2021)

Rogério Callegari

– Sob Biden, a nova política para a cannabis nos EUA influenciará o mundo (22/02/2021)

– Nova Iorque prestes a legalizar a indústria da cannabis para uso adulto (17/03/2021)

Canadenses gastam mais de 2 bilhões de dólares em Cannabis em 2020 (19/05/2021)

Solange Aparecida Nappo

– Qual a relação entre crack e maconha? (07/05/2021)

Stevens Rehen

 Cannabis, criatividade e empreendedorismo (12/03/2021)

– Inflamação, canabinoides e COVID (11/05/2021)

Waldir Aparecido Augusti

– Busque conhecer antes de julgar (24/02/2021)

– Ontem, hoje e amanhã: cada coisa a seu tempo (24/03/2021)

Wilson Lessa

– O sistema endocanabinoide e os transtornos de ansiedade (15/12/2020)

– O transtorno do estresse pós-traumático e o sistema endocanabinoide (09/02/2021)

– Sistema Endocanabinoide e Esquizofrenia (09/03/2021)

– O TDAH e o sistema endocanabinoide (16/04/2021)

– Sistema Endocanabinoide, sono e transtornos do sono (10/05/2021)

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese