Cannabis reduz sintomas de estresse pós-traumático em longo prazo

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Os usuários de cannabis no estudo tinham 2,57 vezes mais probabilidade de não atenderem mais aos critérios para PTSD no final do período de observação (Foto: Reprodução/High Times)

Pacientes com transtorno de estresse pós-traumático (PTSD) que consomem cannabis por fontes legais pelo estado mostraram uma redução dos sintomas ao longo do tempo em comparação com os não usuários, de acordo com um estudo publicado recentemente. Os resultados da pesquisa, “The Long-Term Prospective, Therapeutic Impact of Cannabis on Post-Traumatic Stress Disorder”, foram publicados no início deste mês pela revista Cannabis and Cannabinoid Research.

Para conduzir o estudo, pesquisadores associados à Perelman School of Medicine da University of Pennsylvania, à John Hopkins University e à University of Colorado School of Medicine recrutaram 150 participantes com PTSD. Os sujeitos do estudo foram divididos em dois grupos, um que incluía participantes que usavam cannabis em dispensários licenciados pelo estado e um grupo adicional de não usuários de cannabis como controle. Os participantes do estudo que usaram cannabis consumiram principalmente flores com predominância de THC.

>>> Participe do grupo do Sechat no WhatsApp e receba primeiro as notícias

A cada três meses ao longo do estudo de um ano, os sintomas de estresse pós-traumático dos participantes foram monitorados usando o CAPS-5, que é amplamente considerado o padrão ouro na avaliação de PTSD. Uma análise estatística dos resultados testou se as trajetórias dos sintomas de PTSD diferiam entre os dois grupos.

Usuários de cannabis tiveram melhores resultados

“Os participantes que usaram principalmente cannabis com THC dominante relataram uma maior redução na gravidade dos sintomas de PTSD ao longo do tempo em comparação”, escreveu a equipe de pesquisadores. “Os usuários de cannabis também mostraram uma taxa de remissão maior que o dobro de seu diagnóstico de PTSD em comparação com os não usuários a partir da avaliação de acompanhamento de 1 ano.”

>>> Como a Cannabis medicinal pode auxiliar nos sintomas do coronavírus

Os usuários de cannabis no estudo tinham 2,57 vezes mais probabilidade de não atenderem mais aos critérios para PTSD no final do período de observação em comparação com os participantes que não consumiram cannabis. Em sua conclusão, a equipe de pesquisadores pediu mais pesquisas científicas sobre os efeitos que diferentes produtos de cannabis podem ter em pacientes de PTSD e seus sintomas.

“Este estudo fornece evidências de que os tipos de cannabis disponíveis em dispensários de uso adulto e medicinal podem ser promissores como um tratamento alternativo para PTSD”, escreveram os investigadores. “São necessários ensaios clínicos randomizados controlados por placebo para avaliar a segurança e determinar como diferentes preparações de cannabis impactam o TEPT e o funcionamento.”

>>> Cannabis medicinal acaba com crises de dor em capixaba praticante de jiu-jitsu

Paul Armentano, o vice-diretor da Organização Nacional para a Reforma das Leis da Maconha (NORML), observou que os resultados da pesquisa parecem validar evidências anedóticas de que o uso de cannabis pode ter um impacto positivo em pacientes com PTSD.

Os resultados do estudo são consistentes com uma revisão sistemática de ensaios clínicos randomizados publicados por pesquisadores latino-americanos este ano, que descobriram que dois canabinoides sintéticos semelhantes ao THC foram tratamentos eficazes para o estresse pós-traumático.

Mas o júri ainda não decidiu. Um estudo separado publicado no início deste ano na revista Psychological Medicine encontrou “nenhuma evidência de melhora nos sintomas de intrusão relacionados ao PTSD ou remissão no diagnóstico de PTSD em associação com o uso de cannabis a longo prazo.”

Fonte: High Times (A.J. HERRINGTON), com curadoria e edição de Sechat Conteúdo

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese