Cannabis será novo objeto de estudo na Faculdade de Buenos Aires

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
O grupo disse em comunicado que pretende ser referência no desenvolvimento de uma indústria do futuro (Foto: Divulgação)

Recentemente, o Conselho de Administração da Faculdade de Agronomia da Universidade de Buenos Aires (UBA) aprovou a criação do Grupo de Estudo e Trabalho (GET) sobre a Cannabis medicinal, a partir do qual serão criados grupos que irão disseminar conhecimentos referentes a esta planta que possui diversos benefícios.

Paralelamente, a equipe formada por professores, graduados e alunos de diferentes carreiras da FAUBA acompanhará, do lado agronômico, grupos já consolidados das áreas farmacêutica e médica.

>>> Deputado quer regulamentar Cannabis medicinal em Buenos Aires

O objetivo principal será a divulgação do conhecimento sobre a Cannabis sativa e seus possíveis usos. Ou seja, identificar métodos, problemas e oportunidades para o futuro, estabelecimento de algumas das alternativas de cultivo, industrialização e comercialização dos diferentes produtos oferecidos por esta espécie.

Segundo o GET, o cultivo da cannabis, além de possuir uma infinidade de benefícios comprovados do ponto de vista terapêutico e ter aplicações alimentares (o óleo e a farinha protéica extraídos de suas sementes são comestíveis e muito saudáveis), a planta possui usos diversos que vão, também, além dos benefícios medicinais, como o uso na indústria têxtil, construção civil, indústria do papel, biocombustíveis e seus derivados, fitorremediação, entre outros.

>>> Aprovação do autocultivo de Cannabis medicinal em Rosário gera debate

A ideia de estabelecer um grupo de trabalho e estudo nasceu do engenheiro agrônomo, Daniel Sorlino, em 2011. Três anos depois, o professor teve o aval necessário para estudar o cânhamo industrial, mas, devido ao fato de o marco regulatório da época não permitir isso, o projeto foi suspenso.

Apenas em 2019, um grupo de alunos do Organic Plant Production Technician (TPVO) expandiu os seus interesses acadêmicos pela espécie Cannabis sativa, organizou-se e iniciou uma procura de espaços dentro da Faculdade para desenvolver as suas pesquisas. Assim, juntamente com o engenheiro Sorlino, se comprometeram a promover a criação da GET Cannabis FAUBA.

>>> Decisão na Argentina deixa de considerar a Cannabis um narcótico

“As competências do GET Cannabis estão orientadas para questões agronômicas. Os usos e aplicações derivados da produção primária são da competência de outras casas de estudos, com as quais pretendemos interagir em ações de extensão e investigação”, esclareceu o comunicado da equipe.

O grupo ainda acrescentou que há muito a aprender e desenvolver a respeito do potencial desta espécie como matéria-prima e da aptidão agroclimática do território argentino para o cultivo de cannabis. “Esperamos ser referência no desenvolvimento de uma indústria do futuro”, diz o comunicado. 

>>> Governos da Argentina e de Israel trocam conhecimentos sobre a Cannabis medicinal

Como primeira atividade, o GET organizou um ciclo de webinars gratuitos e abertos, nos quais convidam referências de diferentes áreas para agregar conhecimento científico sobre a cannabis.

O próximo seminário, intitulado “Cannabis e saúde: o sistema endocanabinoide”, será realizado nesta quarta-feira, 7 de outubro, às 18 horas e será conduzido pelo Dr. Carlos Alberto Magdalena, neurologista pediátrico e chefe da Seção de Neurofisiologia e Epilepsia do Hospital de Ricardo Gutiérrez Crianças da Cidade Autônoma de Buenos Aires.

>>> Defender a Cannabis medicinal é “lutar pela saúde”, diz deputada argentina

Segundo os organizadores, a GET Cannabis foi agregando mais histórias e vontades. Hoje ela tem um perfil interdisciplinar muito amplo e enriquecedor. Desde a formalização, ampliamos a convocação e temos recebido inúmeros pedidos de incorporação. “Obviamente, temos muito interesse em aprofundar o conhecimento sobre a espécie. Felizmente, agora temos um espaço para isso ”, comentaram.

Fonte: Com informações de Filo e Página 12 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese