CBD inibe a replicação do vírus da Covid em células pulmonares

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
A equipe avaliou a incidência de infecção pelo coronavírus entre 82 pacientes que haviam recebido CBD antes do teste e pacientes pareados que não haviam recebido CBD (Foto: Gustavo Fring/Pexels)

Curadoria e edição de Sechat Conteúdo, com informações de News Medical (Sally Robertson)

Pesquisadores nos Estados Unidos conduziram um estudo mostrando que um composto da planta de cannabis inibiu a infecção pelo vírus causador da Covid (SARS-CoV-2) em células pulmonares humanas.

Marsha Rosner, da University of Chicago, e sua equipe descobriram que o CBD e seu metabólito 7-OH-CBD bloquearam a replicação da Covid nas células do pulmão. O CBD inibiu a expressão do gene viral e reverteu muitos dos efeitos do vírus na transcrição do gene do hospedeiro.

>>> Siga o Sechat no INSTAGRAM

O composto também induziu a expressão de interferons – proteínas de sinalização celular que são produzidas pelas células hospedeiras como uma resposta precoce à invasão viral.

Além disso, a incidência de infecção pelo coronavírus foi menor em uma coorte de pacientes que estavam tomando CBD, em comparação com pacientes compatíveis que não estavam tomando CBD.

“Este estudo destaca o CBD e seu metabólito ativo, 7-OH-CBD, como potenciais agentes preventivos e tratamentos terapêuticos para Covid-19 nos estágios iniciais da infecção”, afirma Rosner e a equipe. O artigo foi publicado no BoRxiv e ainda passa pela revisão por pares.

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

A disseminação rápida da Covid destaca a necessidade de novos tratamentos

Embora vacinas recentemente aprovadas estejam sendo lançadas em muitos países, o vírus ainda está se espalhando rapidamente. Rosner e colegas dizem que isso destaca a necessidade de abordagens alternativas, particularmente entre as populações com acesso limitado às vacinas.

O que envolveu o estudo atual?

Para testar o efeito do CBD na replicação do coronavírus, os pesquisadores pré-trataram células A549 de carcinoma de pulmão humano que expressam ACE-2 com CBD por 2 horas antes de infectá-los com o vírus.

Sobretudo, a análise das células 48 horas depois mostrou que o CBD inibiu de forma potente a replicação viral nas células.

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

Como o CBD é frequentemente consumido como parte de um extrato de Cannabis, a equipe investigou se outros canabinoides poderiam inibir a infecção pelo coronavírus.

Entretanto, o único agente que inibiu potentemente a replicação viral foi o CBD; limitada ou nenhuma atividade antiviral foi exibida pelos outros canabinoides estruturalmente semelhantes testados.

Além disso, o metabólito 7-OH-CBD do CBD, o ingrediente ativo no tratamento da epilepsia com CBD, também inibiu efetivamente a replicação do vírus nas células.

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

O CBD eliminou efetivamente a expressão de RNA viral

Com o estudo, a equipe levantou a hipótese de que o CBD tem como alvo os processos da célula hospedeira.

Consistente com essa hipótese, o sequenciamento de RNA de células ACE2 infectadas tratadas com CBD por 24 horas revelou supressão significativa de alterações induzidas por coronavírus na expressão gênica.

Assim, o CBD eliminou efetivamente a expressão de RNA viral, incluindo a codificação de RNA para a proteína spike, uma proteína viral de superfície.

Sobretudo, tanto o coronavírus quanto o CBD desencadearam mudanças significativas na expressão gênica celular, incluindo a expressão de vários fatores de transcrição.

Além disso, o CBD reverteu efetivamente a indução viral de citocinas que podem desencadear uma resposta hiperinflamatória durante os estágios finais da infecção. Tal resposta é chamada de “tempestade de citocinas”.

“Assim, o CBD tem potencial não apenas para atuar como um agente antiviral nos estágios iniciais da infecção, mas também para proteger o hospedeiro contra um sistema imunológico hiperativo em estágios posteriores”, afirma Rosner e a equipe.

A incidência de SARS-CoV-2 foi menor em pacientes que tomaram CBD

Como resultado, a equipe avaliou a incidência de infecção pelo coronavírus entre 82 pacientes que haviam recebido CBD antes do teste. As comparações foram feitas com pacientes pareados que não haviam recebido CBD.

Surpreendentemente, a incidência de Covid foi de apenas 1,2% entre os pacientes prescritos com CBD, em comparação com 12,2% entre os pacientes que não estavam tomando CBD.

“A redução substancial no risco de infecção por coronavírus em pacientes que tomaram CBD aprovado pela FDA destaca a eficácia potencial desta droga no combate à Covid”, conforme disse Rosner e colegas.

“Nós defendemos ensaios clínicos controlados por placebo cuidadosamente projetados com concentrações conhecidas e formulações altamente caracterizadas a fim de definir o papel do CBD na prevenção e tratamento da infecção precoce por coronavírus”, eles concluem.  

Confira outros conteúdos sobre o CBD para a Covid publicados pelo Sechat:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese