CBD pode ajudar no desempenho de atletas, mostra estudo

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
o CBD pode auxiliar na recuperação muscular, melhora na qualidade do sono e alívio de dores causadas por contusões (Foto: Snapwire/Pexels)

Para atletas de alto nível e para aqueles que se esforçam para alcançar este objetivo, a busca por substâncias que melhoram o desempenho é eterna e desafiadora. Os suplementos devem estar em conformidade com as leis antidopagem, ser seguros e, de preferência, naturais.

O CBD está atualmente gerando discussão entre os atletas que alegam benefícios variados, como a recuperação acelerada de lesões, sono mais profundo e redução da dor muscular.

Embora muitas organizações considerem o outro canabinoide principal da cannabis, o THC, uma substância ilícita, a Agência Mundial Antidopagem permite o uso puro de CBD. Ele é um canabinoide não intoxicante com propriedades anti-inflamatórias, neuroprotetoras, ansiolíticas e analgésicas e pode representar um suplemento legal auxiliar os atletas.

>>> Cannabis pode aliviar sintomas do TOC, diz estudo

Produtos de CBD voltados para atletas recreativos e de elite, como cbdMD e fourfivecbd, já são adotados.

Mas o poder do CBD é apenas exagero? Há evidências substanciais de que o CBD pode oferecer aos atletas essa vantagem indescritível? Ou essas afirmações são simplesmente um destaque de relações públicas para um canabinoide em alta?

O que dizem os estudos sobre o CBD?

De acordo com uma pesquisa lançada esse ano, o CBD pode ajudar os atletas de várias maneiras.

Inflamação e dores reduzidas

Uma revisão de 2020 publicada na Sports Medicine analisou estudos pré-clínicos em animais e ensaios clínicos de CBD em populações de não atletas. Os autores descobriram que o CBD pode promover efeitos fisiológicos, bioquímicos e psicológicos potencialmente benéficos para os atletas.

Uma das principais conclusões da revisão é que o CBD pode ajudar a aliviar a dor inflamatória associada a danos nos tecidos e dor neuropática causada por danos ou irritação dos nervos. Isso pode sinalizar uma vantagem importante para atletas de resistência: exercícios repetitivos de longa distância podem provocar inflamação e irritação nos nervos periféricos.

Proteção contra danos gastrointestinais

O estudo de Medicina Esportiva acima também descobriu que o CBD pode proteger contra danos gastrointestinais. Os atletas que regularmente se engajam em atividades extenuantes podem reduzir o fornecimento de oxigênio e nutrientes ao trato gastrointestinal (GI).

>>> A Cannabis medicinal e a saúde da mulher

O estresse GI pode influenciar negativamente o desempenho do exercício e a recuperação devido a náuseas, vômitos e absorção nutricional prejudicada. A pesquisa pré-clínica mostrou que o CBD pode reduzir os danos aos tecidos e restaurar a permeabilidade do intestino.

Saúde óssea

Os autores acima forneceram evidências adicionais de que o CBD pode auxiliar na deposição de ossos saudáveis e ajudar a curar fraturas. Ossos saudáveis ​​são essenciais para os atletas, e a saúde óssea às vezes é comprometida por lesões traumáticas ou disponibilidade inadequada de energia.

Gestão da ansiedade de desempenho esportivo

O CBD também pode ajudar os atletas a controlar a ansiedade do desempenho esportivo, de acordo com os estudos da Sports Medicine. A ansiedade antes de uma competição pode causar perda de sono, aumentar o gasto de energia e prejudicar a ingestão nutricional.

De acordo com os autores da revisão, estudos em indivíduos não-atletas indicaram que o CBD pode aliviar a ansiedade em situações estressantes. O CBD pode ser ainda mais eficaz quando associado a intervenções psicológicas, como terapias cognitivo-comportamentais.

Qualidades neuroprotetoras para proteger contra lesão cerebral

Outro estudo de 2020, publicado na Pharmacological Research, também pesou a validade e a aplicabilidade da pesquisa existente de CBD para atletas. Esses autores chegaram a conclusões semelhantes, mas com uma ênfase ligeiramente diferente.

>>> Como a Cannabis medicinal pode tratar a “tempestade inflamatória” da Covid-19

As propriedades neuroprotetoras do CBD foram destacadas por seu potencial de neutralizar os danos que podem ocorrer após uma concussão relacionada a esportes. Essas concussões são consideradas uma variação de lesão cerebral traumática leve e podem levar a complicações prejudiciais de longo prazo, como danos neuronais.

Os autores do estudo enfatizam uma pesquisa recente em um animal demonstrando que o óleo CBD pode ajudar a tratar a dor, agressão e depressão associadas a lesão cerebral traumática leve. O óleo CBD também ajudou a neutralizar o dano neuronal no córtex pré-frontal do cérebro. O canabinoide também inibe o estresse oxidativo e a neuroinflamação, conferindo benefícios neuroprotetores adicionais.

>>> Cannabis e CBD são seguros para animais?

Estas são descobertas promissoras, pois atualmente não há terapias farmacológicas eficazes disponíveis para o tratamento de lesão cerebral traumática leve. Lesões cerebrais traumáticas repetitivas, que podem ser comuns em esportes de contato, também podem levar a doenças neurodegenerativas crônicas, como encefalopatia traumática crônica (CTE).

Ciclos de sono e vigília

O estudo de Pesquisa Farmacológica de 2020 também destacou o potencial de alteração do sono do CBD. A pesquisa em animais descobriu que o CBD pode ser um agente indutor do sono e um promotor da vigília. Essa capacidade de produzir efeitos opostos – conhecidos como efeitos bifásicos – depende da dose usada e parece funcionar com mais sucesso quando o ritmo natural de sono-vigília é perturbado.

Doses mais baixas de CBD parecem promover a vigília, enquanto doses mais altas parecem sedar e adormecer. Ambas as propriedades podem ser benéficas: embora a busca por uma noite de sono sólida seja inestimável antes de um grande jogo, ficar acordado também pode melhorar o desempenho de atletas que competem em ultramaratonas ou eventos de resistência.

>>> O canabinoide CBN e os benefícios para sua saúde

Mas alguma dessas vantagens tem um custo para o desempenho em campo? A recuperação aprimorada e o sono profundo podem parecer atraentes, mas não se resultarem em equilíbrio ou coordenação comprometidos.

De acordo com o estudo da Sports Medicine, entretanto, a resposta é não. Os pesquisadores avaliaram ensaios clínicos que investigavam o impacto do CBD na função cognitiva e psicomotora e descobriram que os dados atuais sugerem que é improvável que o CBD tenha um impacto negativo em indivíduos saudáveis.

O que os especialistas e atletas dizem sobre o CBD?

Para a doutora Elaine Burns, diretora médica do Southwest Medical Marijuana Physicians Group e fundadora dos produtos ReLeaf CBD do Dr. Burns, o CBD é uma promessa para os atletas. Burns adverte, no entanto, que o conhecimento atual é limitado, porque a maioria dos dados são baseados em estudos com animais em que os animais tendem a receber altas doses de CBD.

>>> Conheça o CBG, o canabinoide que tem se mostrado um ótimo antibiótico

“Há muito o que aprender sobre como traduzir a dosagem de animais para humanos”, disse ela. Dito isso, os benefícios potenciais são abundantes, especialmente quando se trata de tratar e reduzir a inflamação.

“O CBD pode ajudar os atletas na recuperação, reduzindo a inflamação e auxiliando no relaxamento muscular”, disse Burns. “É um anti-inflamatório que atua reduzindo os marcadores pró-inflamatórios no corpo. Também há pesquisas mostrando que o CBD é eficaz no combate à neuroinflamação, tornando o CBD interessante para atletas que praticam esportes como futebol ou boxe, onde concussões são comuns.”

Para os atletas curiosos em experimentar o CBD, Burns aconselha a opção por tinturas sublinguais.

“Acho que o colírio administrado por via sublingual deve ser o método preferido. Desta forma, o CBD entra em seu sistema mais rápido e tem maior biodisponibilidade para que a dose possa ser reduzida.”

Para Stu Kam, atleta de jiu-jitsu e proprietário do ATH Organics, as gomas CBD representam uma parte inegociável de seu regime suplementar.

“Como atleta e competidor de jiu-jitsu brasileiro, o CBD tem sido um elemento básico em meu regime de treinamento para ajudar na minha recuperação e, especificamente, no meu descanso”, disse Kam.

>>> Cânhamo, o novo queridinho dos adeptos à dieta Paleo

Ele continuou: “Todas as noites eu tomo 25mg de gomas de CBD para me ajudar a dormir após o treino. Antes de usar o CBD, eu tinha dificuldade em adormecer após o treino, o que acabou levando a uma recuperação deficiente. Desde que comecei a tomá-lo, percebi um sono muito mais profundo e a capacidade de treinar com todo o meu potencial no dia seguinte.”

A palavra final

Como costuma acontecer com a pesquisa sobre a cannabis, mais dados sobre as populações humanas são necessários para resultados mais conclusivos. Os autores dos estudos da Sports Medicine e Pharmacological Research enfatizam a natureza preliminar de suas descobertas. Embora os dados atuais sejam muito promissores, a pesquisa clínica em populações de atletas fornecerá insights mais definitivos sobre a utilidade do CBD.

Felizmente, parece que essas iniciativas de pesquisa já estão em andamento. Em 2019, Aurora Cannabis se uniu ao UFC para desenvolver pesquisas clínicas sobre CBD, bem-estar e recuperação do atleta, e outras pesquisas certamente virão. Espere ver mais estudos se desdobrando neste espaço em um futuro próximo.

Fonte: Emma Stone/Leafly

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese