Evento reúne jornalistas e comunicadores para falar sobre cannabis

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
precisamos-falar-sobre-cannabis-edicao-comunicacao
Bruno Pegoraro, presidente do IPSEC, durante o evento (Créditos: Divulgação)

Por Jacqueline Passos

Na última segunda-feira, o IPSEC (Instituto de Pesquisas Sociais e Econômicas da Cannabis) e Instituto Humanitas 360 organizaram o segundo evento da série “Precisamos falar sobre cannabis”. Dessa vez, o tema foi comunicação e os desafios da abordagem deste tema nos meios de comunicação e nas redes sociais. Para quem desejar assistir na íntegra, o evento, que foi transmitido ao vivo pelo Instagram do IPSEC, está salvo no feed da página @ipsecbrasil, para quem desejar assistir.

Dentre os profissionais da área, participaram: Ana Luiza Prudente, diretora de comunicação e relacionamento do Civi-co, André Porto Alegre, membro do conselho administrativo, financeiro e fiscal da APP (Associação dos Profissionais de Propaganda), Victor Sena, jornalista da Revista Exame, Kenbilly Fogolin, especialista em mídias sociais da Agência Calone e Jacqueline Passos, jornalista do Sechat.

O que disseram os palestrantes

A abertura do evento foi feita por Ana Luiza Prudente, que abordou em sua fala o poder do Jornalismo Construtivo e como esse tipo de abordagem pode ser importante para o debate da cannabis. Ana, que já foi jornalista de uma grande emissora de televisão, também contou um pouco da sua experiência ao longo da carreira e o porquê de ter sido atraída para um lado da comunicação mais humano e sustentável.

Precisamos falar sobre a cannabis, mais um evento do Civi-co para mostrar a importância de uma nova economia que começa a surgir através dessa planta de muitos poderes.”

Ana Luiza Prudente

>>> Participe do grupo do Sechat no WHATSAPP e receba primeiro as notícias

Na sequência, André Porto Alegre abordou um pouco sobre os possíveis caminhos da publicidade pós cannabis, caso haja legalização – tanto medicinal como uso adulto – em algum momento no nosso país. André também comparou esse mercado com outros que também são regulados pelo Conar (Conselho Nacional Auto Regulamentação Publicitária), como a bebida alcoólica e o cigarro. 

Mudando um pouco de assunto, Victor Sena, jornalista da Revista Exame que já escreveu várias matérias sobre cannabis, falou um pouco sobre a necessidade de educar o leitor através da informação. Ele relatou que, por mais que este seja um assunto que está ganhando espaço na mídia, as matérias sobre este assunto nem sempre têm um número expressivo de cliques e leitores. 

Victor Sena, jornalista da Exame, durante evento (´Créditos: Divulgação)

Dando continuação ao evento, Kenbilly Fogolin abordou os entraves que as páginas de cannabis sofrem nas redes sociais, como bloqueio da página e queda no engajamento. A especialista também deu algumas dicas de como confundir o algoritmo das redes para que o conteúdo não seja prejudicado. 

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

Por último, Jacqueline Passos falou um pouco sobre como a comunicação de qualidade pode levar ainda mais informação, não só para as pessoas interessadas no tema cannabis, como também para aquelas que ainda desconhecem o assunto ou até têm algum tipo de preconceito. A jornalista ressaltou que este, inclusive, é um dos objetivos do Sechat, canal de mídia que aborda assuntos relacionados à cannabis medicinal. 

Jacqueline Passos, jornalista do Sechat, durante o evento (Créditos: Divulgação)

As perspectivas de profissionais de diferentes áreas trouxe questionamentos significativos sobre como abordar o assunto cannabis e levar a informação certa para leitores e seguidores de diferentes plataformas. Debates como esse aprimoram os argumentos e enriquecem o setor. 

IPSEC planeja outros eventos como este

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

A ideia é que outros eventos como esse aconteçam mensalmente. De acordo com Bruno Pegoraro, presidente do IPSEC, o Instituto planeja trazer para o debate outros importantes atores envolvidos direta ou indiretamente nessa discussão, como médicos, pesquisadores, empresários, juristas, líderes religiosos, entre outros membros da sociedade civil.

Veja também:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese