‘Freiras’ plantam maconha para pacientes nos EUA e estão lucrando muito

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Um grupo de religiosas conhecidas como as “Irmãs do Vale” está produzido pomadas e cremes à base de cannabis na cidade de Merced, na Califórnia (EUA). Elas faturam até 12 mil dólares por mês com seus produtos, feitos exclusivamente com o canabidiol (CBD), ou seja, sem o THC que é a substância psicoativa da maconha. E é por isso mesmo que estas religiosas decidiram cultivar apenas esse tipo de semente.

As informações são do portal Medical Cannabis News. Segundo o site, elas não fazem parte da Igreja Católica, mas se vestem e pensam como se fossem. No começo, as freiras trabalhavam em clínicas de cannabis em seus estados, mas logo perceberam que era um processo lento e mal remunerado. Dessa forma, vendo que havia um interesse particular em criar produtos com valor clínico, decidiram começar seu próprio negócio de CBD.

As freiras disseram ao MCN que a produção de cannabis medicinal é uma forma de “exercício espiritual”. Elas cresceram em escolas religiosas tradicionais e consideram que a atividade representa um papel da sociedade na ordem, limpeza e guarda do mundo espiritual.

Os produtos são vendidos no mercado online Etsy.com, uma página que vende itens artesanais. As irmãs estão lá com o nome “Sisters of CBD”. Lá, elas listam uma série de doenças para os quais seus produtos podem ser úteis.

Em 2018, as freiras viraram tema do documentário Breaking Habits (Quebrando Hábitos), e foram a sensação entre os cineastas de Cannes, quando foram até a cidade francesa para o festival de cinema.

Foto: Facebook/SistersOfTheValley

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese