Maconha. Maconha? Maconha!

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Rodolfo Rosato é empresário, fundador e CVO (Chief Visionary Officer) da plataforma Kannamed/TerraCannabis, que tem a missão de democratizar o mercado brasileiro de cannabis medicinal, trazendo os principais e mais conceituados produtos e marcas do mundo para o Brasil. (Foto: Arquivo pessoal)

Coluna de Rodolfo Rosato*

Sim, é exatamente de maconha que todos nós falamos aqui nesses textos e, é da maconha que são feitos os produtos medicinais que você e milhões de pessoas consomem e se beneficiam todos os dias. E é a maconha que vem mudando a vida dessas pessoas.

Falar em cannabis, cânhamo ou, até mesmo como alguns falam, no pior dos
“embromation”; “kêinabis”, é sim falar de maconha. Não existe diferença senão a semântica.

E pode falar qual delas preferir e se sentir mais confortável, só não denigra a imagem da planta.

No congresso, nas rodas de conversa e até entre os ativistas, esse medo de dizer maconha ainda perdura. Tão bobo e infantil essa vergonha de pronunciar o nome das coisas. Você nasceu porque o Papai colocou uma sementinha no umbiguinho da Mamãe.

>>> Siga o Sechat no INSTAGRAM

Para desmistificar e acabar com o preconceito, precisamos antes resinificar esses conceitos em nós mesmos. Se os envolvidos no mercado têm vergonha do que falam, como vamos mudar o pensamento de uma nação inteira?

(Hino popular/não oficial do XV de piracicaba, reza a lenda, adaptado por alunos da Esalq)

Carxara de forfe
Cuspere de grilo
Bicaro de pato

Maconha, maconha, maconha! Maconha verrrdinha… é o Puro crrreme da planta… Não, ainda não é de Piracicaba, mas em breve com certeza vai ser de todo Brasil. E assim como os torcedores do XV de Piracicaba fizeram de uma sátira o seu hino não oficial, também precisamos mudar essa quizila da palavra maconha.

Dizer que a cannabis é medicinal e a maconha não é totalmente equivocado, afinal, mesmo o usuário da maconha social é sempre um paciente medicinal, quer ele queira ou não. E, para quem não sabe, o óleo medicinal que se extrai das flores (as mesmas utilizadas no uso social) é muito superior ao que se extrai apenas de caules e folhas. Os pacientes medicinais brasileiros poderiam estar consumindo produtos muito melhores e mais eficazes se não fosse essa ridícula tentativa de dissociar a maconha da própria maconha.

Asara de barata
Nheque de porteira
Suvaco de cobra,
Já que tá que fique,

Outra grande injustiça é enaltecer os efeitos medicinais da planta, mas difamar a imagem de quem usa a planta socialmente. Maconheiro! Ele é maconheiro!

>>> Inscreva-se em nossa NEWSLETTER e receba a informação confiável do Sechat sobre Cannabis Medicinal

Pacientes medicinais, agradeçam muito os maconheiros, pois, se foram vocês que colocaram o assunto na pauta oficial, foram eles que carregaram nas costas e mantiveram viva a planta nesse século de proibição e perseguição!

Salve aos maconheiros do mundo! Obrigado por continuarem a cultivar e difundir nossa sagrada planta mesmo sob a mais cruel e vil perseguição humana!

Sem óio de breque,
de orc de raibã
Carcanhar de bode,
Toceira de grama,

E não adianta esse “mimimi” todo sobre a palavra. Políticos, mesmo os mais
preconceituosos lá de Piracicaba, vão passar as leis de cultivo antes dos recalcados perderem essa vergonha boba de dizer, MACONHA.

>>> Participe do grupo do Sechat no TELEGRAM e receba primeiro as notícias

Afinal, não vai demorar muito até a bancada ruralista fazer as contas e perceber o quanto de dinheiro está deixando de ganhar em monoculturas de soja e etc. E aí meu amigo, preconceito nenhum vai impedir essa gente de faturar mais alguns milhões. Bora que é pra frente que se anda, caso contrário, vira caranguejo.

Já que tá que fique,
XV XV! crá crá crá !
XV XV! crá crá crá !
Treis veiz cinco
XV!

As opiniões veiculadas nesse artigo são pessoais e de responsabilidade de seus autores.

Veja outros artigos de nossos colunistas:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese