Três mil franceses farão tratamento com maconha medicinal

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
(Foto: Pinterest/ Greenme)

A França dá um passo adiante para legalizar a maconha medicinal, assunto que foi abordado pelo jornal Libération na última semana.

Há dois dias, deputados franceses se manifestaram majoritariamente a favor da autorização de um projeto piloto para financiar o tratamento com a cannabis terapêutica a três mil pacientes.

Nesta fase inicial do teste, participarão indivíduos que sofrem de dores neuropáticas, com alguns tipos de epilepsia, câncer, esclerose e com outras doenças do sistema nervoso central.

A lei de financiamento para que o medicamento seja reembolsado pela seguridade social francesa deve ser promulgada no final deste ano. Já o primeiro grupo de participantes começará a receber o tratamento com a cannabis medicinal a partir do primeiro semestre de 2020.

Além disse, a Organização Mundial da Saúde (OMS) propôs rever a classificação da cannabis como droga e reconhecer as propriedades medicinais da planta. Na França, um decreto de 2013 já havia concedido a autorização para que alguns medicamentos para o tratamento da esclerose usassem a substância em sua composição, mas os produtos jamais chegaram às farmácias por falta de um acordo sobre o preço final.

Prescrição de cannabis

O jornal ressalta que na França “é comum que pacientes comprem maconha ilegalmente. Outros atravessam as fronteiras e adquirem a erva medicinal fora do país, graças a uma receita que médicos franceses podem fornecer”.

O autor do projeto de lei que pode legalizar a maconha medicinal na França é o deputado Olivier Véran, do partido governista A República em Marcha. O deputado centrista é neurologista e, para propor o projeto, se inspirou no caso de um paciente de 30 anos, que não conseguia mais trabalhar, apresentava forte risco de suicídio e tomava morfina.

Apesar de otimista, Véran sabe que há um longo caminho a ser percorrido. Um comitê liderado pelo psiquiatra Nicolas Authier, especialista em dependência química, terá a missão de liderar uma equipe que vai selecionar medicamentos que serão utilizados no experimento. Fazem do grupo parte profissionais encarregados de informar o público sobre o que é a cannabis medicinal e qual sua função terapêutica.

O deputado autor da iniciativa comemora o avanço. Segundo ele, apesar das diferentes opiniões que os franceses têm sobre a maconha, é preciso um consenso nacional sobre os fins medicinais da substância. O projeto de lei será analisado em segunda leitura pela Assembleia Nacional francesa na próxima semana.

Fonte: G1

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese