Desvendando o poder antiviral do CBD 

Estudo revela que o composto da cannabis pode ser um aliado na luta contra o Zika e outros vírus

Publicada em 26/10/2023

capa
Compartilhe:

O Canabidiol (CBD), um composto não psicoativo derivado da planta cannabis, tem despertado considerável interesse devido ao seu intrigante potencial antiviral. À medida que alguns vírus, como o Zika (ZIKV), continuam a ameaçar a saúde pública, com poucas opções de tratamento disponíveis, o CBD surge como uma possível alternativa. 

Desse modo, um estudo publicado na revista científica Liebertpub, teve como principal objetivo explorar a capacidade do CBD de inibir o ZIKV in vitro, mas também estendeu seu escopo para avaliar sua eficácia contra outros vírus. 

Materiais e Métodos: 

Os pesquisadores conduziram culturas celulares infectadas com diferentes tipos de vírus, alguns com envelopes lipídicos e outros sem. Em seguida, aplicaram concentrações não tóxicas de CBD e mediram os títulos virais resultantes.  

Além disso, investigaram o mecanismo de ação do CBD durante infecções pelo ZIKV. Para entender o potencial efeito imunomodulador do CBD, expuseram alguns tipos de células ao CBD e mediram os níveis de interleucinas. Também examinaram o impacto do composto nas membranas celulares, usando um ensaio de imunofluorescência para marcar essas membranas. Por fim, mediram os níveis de colesterol intracelular. 

Resultados: 

A pesquisa revelou o notável potencial antiviral do CBD. O composto demonstrou eficácia contra todos os vírus testados em várias linhas celulares. Em relação à infecção pelo ZIKV in vitro, o CBD mostrou uma notável capacidade imunomoduladora. Além disso, os pesquisadores constataram que o CBD afeta as membranas celulares, como evidenciado pelo aumento na fluorescência das células tratadas com o composto e reduziu os níveis de colesterol intracelular, impactando negativamente a replicação do ZIKV e de outros vírus. 

Conclusões: 

Este estudo lança luz sobre o promissor potencial do CBD como uma terapia antiviral de amplo espectro. Os resultados indicam que o composto pode ser uma alternativa valiosa durante surtos virais, como o desencadeado pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2) em 2020. O CBD, uma vez subestimado, emerge como um recurso essencial na luta contra infecções virais, oferecendo uma nova perspectiva para a medicina antiviral.