Os produtos de cânhamo podem impulsionar a indústria no Brasil

O "Contexto político e regulatório do cânhamo" e "O canhâmo e o Agro brasileiro" serão temas do módulo Agro & Tech do Congresso Brasileiro de Cannabis Medicinal em maio de 2024

Publicada em 19/01/2024

capa
Compartilhe:

Por Leandro Maia e Gabriela Fernandes

O cânhamo, também conhecido como cânave ou cânhamo industrial, emerge como uma planta versátil com ampla gama de aplicações, desde tecidos a alimentos, passando por papel, cordas, óleos, resinas, cerveja e combustíveis. Em entrevista ao portal Sechat, Lorenzo Rolim, presidente da Associação Latino-Americana de Cânhamo Industrial e membro do Comitê Científico do Congresso Brasileiro de Cannabis Medicinal, revela o potencial deste recurso pouco explorado no Brasil. Em maio, a planta será ponto central de discussão do módulo Agro & Tech no CBCM 2024, em maio, no Expo Center Norte, em São Paulo. Clique aqui

Diversidade de Produtos:

Rolim destaca que o cânhamo é a matéria-prima por trás de diversos produtos de "larga escala", com o papel de cânhamo assumindo um papel significativo. Utilizado em papéis para produtos fumígenos, como papel de cigarro, e em papéis especiais, inclusive na produção de dinheiro, o cânhamo demonstra sua versatilidade. Além disso, produtos como biodiesel, concreto para construção civil e muitos outros derivados da planta têm potencial para revolucionar indústrias no Brasil.

Saiba tudo sobre o Congresso Brasileiro de Cannabis Medicinal 2024

"Permitir que o Cânhamo seja diretamente utilizado em todas as cadeias produtivas citadas acima, pois se dependermos de importação para isso, será impossível impactar essas indústrias de maneira sistêmica", ressalta Rolim, enfatizando a importância da regulamentação do cultivo nacional.

Projeto de Lei

Em paralelo ao debate sobre o uso industrial, a senadora Mara Gabrilli propõe o Projeto de Lei PL 5511/2023, que regulamenta o uso medicinal da cannabis. Com normas para cultivo e importação, a proposta aguarda designação de relator na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), buscando oferecer alternativas de tratamento com cannabis medicinal aos brasileiros.

Impacto Mercadológico e Ambiental

Do ponto de vista mercadológico, a inclusão do cânhamo na rotação tradicional de culturas brasileiras pode influenciar positivamente mercados cruciais como soja, milho e cana-de-açúcar. Além disso, a planta apresenta uma oportunidade para tornar diversas indústrias mais sustentáveis, como destaca Rolim.

"Mercadológico, para a agricultura, significa mais uma planta para ser utilizada na rotação tradicional de culturas no Brasil, o que pode impactar positivamente o mercado da Soja e de outras commodities como milho e cana-de-açúcar, que são os principais mercados hoje no Brasil e compõe a maior parte das nossas exportações. Além disso, uma planta que tem utilidade em tantas outras cadeias industriais ajudaria a o Brasil a tornar muitas indústrias mais “verdes”, reduzindo a pegada de carbono por exemplo da indústria papeleira, plásticos, construção civil, alimentos, etc… Ambientalmente também podemos salientar que o cânhamo é uma cultura que absorve grandes quantidades de Carbono da atmosfera, tornando seu cultivo mais atrativo pela questão dos créditos de carbono."

Cânhamo e Meio Ambiente

O cânhamo não só oferece oportunidades econômicas, mas também benefícios ambientais notáveis. Rolim ressalta que a cultura do cânhamo absorve grandes quantidades de carbono da atmosfera, tornando-se atrativa pela questão dos créditos de carbono.

Custo de Produção e Competitividade

No aspecto do custo de produção, Rolim argumenta que o cultivo nacional do cânhamo poderia integrar várias cadeias produtivas com custos reduzidos. Ele destaca a competitividade do Brasil na produção de papel, sugerindo que o país poderia aproveitar sua infraestrutura existente para impulsionar o uso de fibras na composição de papéis.

"Utilizando um exemplo prático, o Brasil é um dos países mais competitivos do mundo, se não for o mais competitivo, para produção de papel, pois temos um modelo que constrói plantas de produção de papel e celulose literalmente cercadas por florestas plantadas, o que reduz muito o custo de transportes. Com o Cânhamo poderíamos aproveitar a existência desta infraestrutura para alavancar o uso de fibra na composição dos papéis, além do baixo custo no transporte e transformação."

Congresso Brasileiro de Cannabis Medicinal

O potencial industrial do cânhamo será debatido com profundidade no Congresso Brasileiro de Cannabis Medicinal, programado para ocorrer nos dias 23, 24 e 25 de maio de 2024, no Expo Center Norte, em São Paulo. O evento científico e profissional já é um marco no panorama do conhecimento e inovação voltados ao setor da cannabis. O evento, organizado pela Sechat, reúne especialistas, profissionais da saúde, empresários e agentes públicos para discutir os avanços e entraves do mercado da cannabis no Brasil e no mundo.

Veja o vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=ukZeetIwKbs&t=4s