Pesquisa em plantas terapêuticas e cannabis medicinal na UFSM 

O trabalho inovador do Laboratório de Pesquisas Químicas e Farmacêuticas (LAQUIF)

Publicada em 06/09/2023

capa
Compartilhe:

Por Redação Sechat

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) é palco de uma pesquisa inovadora que promete transformar a medicina e a indústria farmacêutica. O Laboratório de Pesquisas Químicas e Farmacêuticas (LAQUIF), coordenado pelo Prof. Marcelo Barcellos da Rosa, está na vanguarda dos estudos físico-químicos e no desenvolvimento de produtos farmacêuticos derivados de plantas de interesse químico e farmacêutico. Este laboratório tem se destacado principalmente pela pesquisa em plantas terapêuticas, incluindo a cannabis. 

No LAQUIF, a escolha das plantas estudadas é orientada por especialistas, como a Prof.ª Liliana Essi do Departamento de Biologia e empresas que buscam colaborar com o laboratório. É importante ressaltar que todos os estudos são conduzidos sem testes em animais, utilizando amostras botânicas em espectrofotômetros e cromatógrafos. Além disso, o laboratório mantém uma parceria com a Associação Cannábica Medicinal, uma organização sem fins lucrativos, para suas pesquisas relacionadas à cannabis medicinal. 

O estudo de plantas terapêuticas destaca a importância de fatores como as condições ambientais e a idade da planta. O Prof. Marcelo enfatiza que, com o avanço científico e tecnológico, tornou-se possível isolar e identificar os princípios ativos que conferem propriedades farmacológicas a essas plantas. No entanto, a comprovação científica dessas ações terapêuticas exige uma série de testes e estudos multidisciplinares. 

Por trás da pesquisa 

O destaque da pesquisa no LAQUIF é o estudo da cannabis medicinal. O laboratório investiga a composição química de extratos e fitoterápicos envolvendo variações genéticas da família Cannabaceae. Apesar do potencial revolucionário dessa pesquisa, o Prof. Marcelo aponta desafios regulatórios e éticos, ressaltando a falta de legislação adequada e a desinformação no Brasil em relação a pesquisas com cannabis medicinal. Ele acredita que o país está atrasado nesse campo em comparação com outros países. 

O LAQUIF, criado em 2018, tem se destacado em diversas áreas de pesquisa, incluindo estudos ambientais sobre microplásticos, pesquisas físico-químicas e análises de metabólitos de plantas. Além disso, o laboratório possui publicações internacionais realizadas por seus estudantes, o que demonstra seu compromisso com o avanço da ciência. 

O Prof. Marcelo enfatiza que o sucesso dessas pesquisas depende de recursos financeiros, recursos humanos qualificados e acesso a matéria-prima. O laboratório está constantemente buscando ampliar suas áreas de pesquisa, com foco na exploração de plantas com ações farmacológicas e no desenvolvimento de produtos biotecnológicos. 

Para saber mais sobre o trabalho inovador do LAQUIF e acompanhar suas atividades, você pode visitar suas redes sociais [clicando aqui (inserir o link das redes sociais). Junte-se a essa jornada de descobertas que prometem revolucionar a medicina e a indústria farmacêutica.