Conheça os canabinoides mais abundantes na planta e no corpo humano

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Os canabinoides são compostos presentes não apenas na cannabis, mas também em todos os corpos humanos (Foto: Benzinga)

Você sabia que a planta cannabis pode produzir pelo menos 144 canabinoides?

Embora a pesquisa sobre as propriedades de todos os 144 desses compostos ainda não esteja disponível, existem informações confiáveis ​​para todos os canabinoides mais abundantes.

Canabinóides 101

Em primeiro lugar, é fundamental definirmos o que é um canabinoide: os canabinoides são compostos presentes não apenas na cannabis, mas também em todos os corpos humanos (e mamíferos).

>>> CBD pode ajudar no desempenho de atletas, mostra estudo

Ao se referir aos canabinoides presentes na própria cannabis, o termo “fitocanabinoide” é usado. Os fitocanabinoides são encontrados nas glândulas de resina pegajosa (tricomas) das plantas de cannabis.

Ao se referir aos canabinoides nativos do corpo humano, o termo “endocanabinoide”, abreviação de canabinoide endógeno, é usado. Os endocanabinoides são produzidos naturalmente no cérebro humano. Eles se conectam ao sistema endocanabinoide (ECS) de uma pessoa, um sistema biológico que regula muitas funções corporais importantes, incluindo dormir e comer.

>>> Justiça nega liminar para cultivo de Cannabis a homem que sofre de Mal de Parkinson

Os canabinoides mais comuns

THC (Delta-9-Tetrahidrocanabinol)

O THC é o canabinoide mais abundante na maioria dos cultivares. Este composto é o principal componente psicoativo presente na cannabis. O THC é conhecido por ser eficaz no tratamento da dor, no alívio da depressão, no combate à náusea, na supressão de espasmos musculares, na desaceleração da degeneração do sistema nervoso, na redução da pressão ocular e na estimulação do apetite (daí “a larica”). Os níveis de THC variam nas flores, com média entre 12 a 18,7%.

CBD (Canabidiol)

Como o THC, o CBD é um dos canabinoides mais comuns. Ao contrário do THC, o CBD não traz a sensação de estar “chapado”. O CBD é conhecido por ser útil no tratamento de uma série de sintomas médicos, com eficácia em melhorar a resistência à insulina, tratar epilepsia, agir como um agente anti-inflamatório, inibir o crescimento de células cancerosas e aliviar a ansiedade, entre muitas outras vantagens. Os níveis de CBD variam nas flores, mas normalmente ficam entre 1 a 4%. No entanto, com a crescente demanda por canabidiol, os cultivares ricos em CBD (aqueles com mais de 4% de CBD por peso) estão se tornando mais comuns. 

>>> Pacientes que usam Cannabis medicinal para Deficit de Atenção usam menos medicamentos prescritos, revela estudo

CBN (Canabinol)

O CBN também é um dos canabinoides mais abundantes. Ele é levemente psicoativo, mas não tão potente nesse aspecto quanto o THC. O CBN é normalmente encontrado em quantidades mais elevadas na cannabis envelhecida ou na cannabis cultivada ao ar livre. Este composto é criado quando o THC se degrada após ser exposto ao oxigênio e à luz ultravioleta e é eficaz na supressão de espasmos musculares, no alívio da dor e na eliminação da insônia. Cultivares com cerca de 0,5% de CBN são comuns em cannabis cultivadas ao ar livre.

>>> Cannabis e CBD são seguros para animais?

CBC (Canabicromeno)

O CBC é outro canabinoide comum. Este composto é encontrado principalmente em plantas juvenis, embora os cultivares “mutantes” com incapacidade de produzir THC ou CBD sejam geralmente ricos em CBC. O CBC é mais conhecido por sua capacidade de fornecer alívio da dor e agir como um anti-inflamatório, sendo também eficaz na promoção de ossos saudáveis, inibindo o crescimento de células cancerosas e retardando o crescimento bacteriano.

CBG (Canabigerol)

Apesar de ser um dos canabinoides mais abundantes, o CBG raramente excede mais de 1,5% em cannabis cultivada de forma otimizada. Os produtores que descobrem que sua cannabis tem porcentagens substancialmente mais altas de CBG, digamos 5%, ou foi colhida muito cedo ou estão testemunhando uma mutação. O CBG não é um composto psicoativo. É eficaz no tratamento da inflamação e da dor e no combate ao câncer. Na sua forma ácida (ácido canabigerólico), o CBGA pode ser entendido como o “avô” do THC e do CBD, uma vez que o THCA e o CBDA derivam do CBGA.

>>> A Cannabis medicinal e a saúde da mulher

THCA (ácido tetrahidrocanabinólico)

THCA é a forma ácida do THC. Está presente na cannabis que não foi seca ou descarboxilada (aquecida) para converter as formas ácidas dos canabinoides, como THCA ou CBDA, presentes na cannabis não tratada. O THCA não produz exatamente os mesmos efeitos do THC. Uma diferença notável é que ele não é particularmente psicoativo. Entre as condições que recebem alívio deste composto estão a inflamação e o câncer. 

CBDA (ácido canabidiólico sintase)

Muito parecido com sua forma ativada (CBD), CBDA é um canabinoide não intoxicante. Mais pesquisas precisam ser feitas sobre o CBDA, mas acredita-se que seja eficaz no tratamento da epilepsia e da ansiedade baseada no trauma. Quando descarboxilado a 295 graus Fahrenheit, o CBDA se transforma em CBD.

>>> Cannabis pode aliviar sintomas do TOC, diz estudo

THCV (tetrahidrocanabivarina)

O THCV é outro dos canabinoides mais comuns. Um dos aspectos interessantes sobre o THCV é como ele afeta o “barato” de uma pessoa. O THCV amplifica as propriedades psicoativas do THC, mas também reduz a longevidade da intoxicação. Os cultivares de cannabis nativos da Ásia e da África têm maior probabilidade do que os cultivares domésticos de apresentar níveis elevados de THCV. Ele está sendo estudado como um potencial tratamento para diabetes pela GW Pharmaceuticals.

CBDV (Canabidivarina)

O CBDV é um dos canabinoides mais abundantes. É encontrado principalmente em cultivares dominantes em CBD e variedades locais da Ásia e da África. Como o CBD, o CBDV não é intoxicante. Atualmente, a GW Pharmaceuticals está estudando ativamente seu potencial para tratar o transtorno do espectro do autismo.

Conclusão

Por muito tempo, as pesquisas sobre as propriedades benéficas dos canabinoides foram suprimidas. Felizmente, essa situação está mudando nos Estados Unidos, que está prestes a alcançar a Espanha, Itália, Israel e Canadá como um dos líderes globais na pesquisa das propriedades medicinais dos canabinoides. 

Fonte: Goldleaf/Benzina

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese