Ex-jogador da NFL viciado em opioides diz que maconha salvou sua vida

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Com cientistas de todo o mundo trabalhando horas extras para desenvolver uma vacina contra o coronavírus , o ex-atacante da NFL Kyle Turley disse que algo já existe para ajudar a combater a pandemia.

“Isso é algo que a Cannabis tem uma maneira de resolver”, afirma Turley ao USA TODAY Sports, referindo-se ao que é mais conhecido como maconha. “A ciência por trás disso é real”, destaca.

Turley, que disse que fuma maconha há 20 anos e acredita que salvou sua vida, disse que a maconha estimula o sistema imunológico e, em um certo nível, deve colaborar com a minimização ou contágio da doença.

“O que vamos fazer aqui? Nós vamos entrar em quarentena ou vamos viver? Se você escolher a maconha, estou aqui para lhe dizer que você vai viver. “

Uma reportagem da Reuters abordou a questão para saber se a maconha pode afetar o coronavírus. Nas redes sociais, há quem afirme que a Cannabis pode matar o vírus, porém não há evidências científicas disso.

A Reuters também mencionou a posição da American Lung Association de que fumar maconha pode danificar os pulmões e, possivelmente, afetar o sistema imunológico e sua capacidade de combater doenças.

A história diz que a maconha provou ser benéfica em situações como, por exemplo, formas raras de epilepsia, náusea causada por quimioterapia contra o câncer e problemas associados ao HIV / AIDs, mas não em relação ao coronavírus.

Turley disse a Cannabis que o curou de vertigem, convulsões, sensibilidade à luz, dor e dormência nos pés e raiva incontrolável. Tendo voltado para o Sul da Califórnia com sua família há cerca de cinco anos. O jogador afirmou que as evidências de sua transformação podem ser encontradas em sua casa.

“Esta é a primeira casa em que morei onde não quebrei uma porta, fiz um buraco na parede, joguei pratos e perdi a cabeça”, afirma.

Ele diz que o que o afetou foi um distúrbio neurodegenerativo associado a impactos repetitivos na cabeça e os opioides que médicos da equipe da NFL lhe deram para tratar os sintomas.

“No final do dia, eu confio em Deus ”, disse ele. “Eu implorei pela minha vida. Quando você é viciado em opioides, chega a esse ponto.”

Turley disse que a maconha também curou sua esposa, Stacey, de câncer de pele. E ele disse que o uso diário de canabidiol impulsionou o sistema imunológico de seus dois filhos, de 9 e 11 anos.

“Resolveu o distúrbio do sono da minha filha e de atenção do meu filho”, diz Turley. “E os médicos continuam nos dizendo que são as crianças mais saudáveis que já viram e se recusam a dar-lhes vacinas contra a gripe. Recusam-se, porque seu sistema imunológico é muito forte.”

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES
ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese